Bolsonaro nega "peitar" STF

Deborah Hana Cardoso
postado em 30/04/2022 00:01
 (crédito:  EVARISTO SA/AFP)
(crédito: EVARISTO SA/AFP)

Bolsonaristas, por outro lado, organizam um ato em defesa da liberdade do deputado Daniel Silveira. A manifestação, marcada para às 14h, na Avenida Paulista, contará com a presença de Silveira e de aliados, como a deputada Carla Zambelli (PL-SP).

"Vários movimentos anunciaram o ato em defesa da liberdade e, como defensora da liberdade, estarei presente para apoiar a iniciativa que é popular e espontânea ", disse a deputada. O presidente Jair Bolsonaro (PL) não confirmou presença na manifestação. 

Zambelli convoca a militância bolsonarista nas redes sociais para o ato pró-governo desde a quinta-feira, 21 de abril — data em que Bolsonaro concedeu o perdão presidencial a Silveira. A deputada e outros 70 parlamentares apresentaram nesta semana, um Projeto de Lei que pauta a correção de "arbitrariedades" contra todos que tenham suas "liberdades constitucionais cerceadas".

O deputado Carlos Jordy (PL-RJ) anunciou em seu Twitter que o deputado Daniel Silveira também participará do ato do 1° de maio em Niterói. "Será às 9h, em frente à reitoria da UFF em Icaraí. Vamos juntos!!", escreveu o parlamentar.

Em outras capitais brasileiras, atos favoráveis a Bolsonaro e em defesa da liberdade de Silveira também estão previstos. Em Teresina, a manifestação começa às 9h, na Ponte Estaiada, ponto turístico da capital piauiense. "Queremos levar a seguinte reflexão: que liberdade é essa? Por que algumas pessoas estão sendo julgadas por crime de opinião e são penalizadas, enquanto outras pessoas que cometeram crimes gravíssimos contra o país estão soltas e com seus direitos políticos garantidos?", questiona Samantha Cavalca, jornalista, presidente do PL do Piauí e pré-candidata à deputada estadual.

A presidente regional da legenda ressalta que todos os atos do presidente possuem respaldo da Constituição, e que a manifestação programada não possui viés contra o Judiciário. "Vamos ter uma manifestação democrática. Onde há pessoas vestidas de verde e amarelo, existe Deus, pátria e família. Baderna são as manifestações em que os vândalos estão vestidos de vermelho e escondem os rostos", criticou. (Colaborou Cristiane Noberto)

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE