Representante da Ucrânia rebate Lula

Victor Correia
postado em 06/05/2022 00:01
 (crédito: Victor Correia/CB/D.A Press)
(crédito: Victor Correia/CB/D.A Press)

O encarregado de negócios da Ucrânia no Brasil, Anatoliy Tkach, creditou à "falta de informações objetivas" as declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre a guerra no Leste Europeu. Em entrevista à Time, o petista disse que o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, tem tanta culpa quanto o chefe de Estado russo, Vladimir Putin, pela deflagração do conflito. Lula ressaltou que a Ucrânia poderia ter dito que não entraria na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e "estaria resolvido o problema".

Tkach foi enfático ao rebater o ex-presidente: "Temos 220 crianças mortas. Que relação isso tem com a Otan? Que culpa tem a Ucrânia? Porque é independente?", questionou, ontem, em entrevista coletiva na embaixada. "A guerra continua já há oito anos com a ocupação ilegal da península da Crimeia. Naquele momento, ninguém falava sobre a Otan. Desde então, não recebemos nenhum sinal claro de aprovação, ou da instalação de bases militares", acrescentou.

De acordo com Tkach, as declarações de Lula "não correspondem à situação atual, ao nível das relações estratégicas entre a Ucrânia e o Brasil". Ele lembrou que a aproximação entre os dois países aumentou significativamente no governo do próprio petista, em 2009. Então presidente, Lula visitou a Ucrânia e estabeleceu relações bilaterais com a nação europeia.

Tkach também refutou falas do ex-presidente de que não houve negociações suficientes para buscar uma solução pacífica. "Antes da guerra em grande escala, a Ucrânia adotou com seus parceiros uma diplomacia ativa. Foi criada uma coalizão antiguerra com a participação de dezenas de países, que continuaram seus contatos e esforços com a Rússia para que a guerra não acontecesse", frisou o encarregado de negócios.

Ele disse que tentou marcar uma reunião com Lula para esclarecer a situação, mas não obteve resposta do PT. "Essas declarações não foram esperadas, mas nós consideramos que foram feitas por causa de falta de informações objetivas. O pré-candidato não tem todas as informações sobre os acontecimentos na Ucrânia", destacou. Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do partido afirmou que "nem a Presidência nem a Secretaria de Relações Internacionais do PT receberam solicitação oficial de contato com a Embaixada da Ucrânia".

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE