Ministério de Minas e Energia

Bento Albuquerque diz que saída foi de "caráter pessoal" e "consensual"

Bento também agradeceu a oportunidade de fazer parte da equipe ministerial e disse que "se orgulha de ter participado do governo do presidente Bolsonaro"

Ingrid Soares
postado em 11/05/2022 14:41
 (crédito:  Ed Alves/CB)
(crédito: Ed Alves/CB)

O ex-ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque afirmou em nota, nesta quarta-feira (11/5), que sua saída da pasta foi uma escolha de caráter pessoal e “consensual” com o presidente Jair Bolsonaro (PL).

“A decisão de deixar o Ministério de Minas e Energia foi de caráter pessoal e tomada em reunião entre ele e o presidente de forma consensual”, diz um trecho do documento divulgado.

Bento também agradeceu a oportunidade de fazer parte da equipe ministerial e disse que “se orgulha de ter participado do governo do presidente Bolsonaro, que continua a contar com a sua lealdade, respeito e amizade”, finalizou. 

A troca no comando da pasta foi publicada hoje no Diário Oficial da União (DOU). Adolfo Sachsida, antes chefe da Assessoria Especial de Assuntos Estratégicos do Ministério da Economia, agora é o novo comandante do ministério.

A mudança ocorre dois dias após a Petrobras anunciar reajuste de 8,87% no preço do diesel nas refinarias, de R$ 4,51 para R$ 4,91 o litro.

Ex-secretário de Política Econômica da Economia, Sachsida é servidor concursado do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) e integra a equipe econômica desde o início, sendo um dos poucos remanescentes já que a pasta vem sendo esvaziada. O novo ministro, inclusive, se aproximou de Bolsonaro antes mesmo de Paulo Guedes integrar a campanha eleitoral de 2018 e é visto como o mais bolsonarista dos economistas da Esplanada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE