EXECUTIVO

Bolsonaro repete fala racista a apoiador negro: "Tu pesa o quê? Mais de sete arrobas"

Olhando para o presidente da Câmara Municipal de Holambra (SP), Mauro Sérgio de Oliveira, de cima para baixo, Bolsonaro questionou: "Conseguiram te levantar? Tu pesa o quê? Mais de sete arrobas, né?", disse arrancando risos dos apoiadores

Ingrid Soares
postado em 12/05/2022 18:21 / atualizado em 12/05/2022 18:21
 (crédito: Reprodução / Foco do Brasil)
(crédito: Reprodução / Foco do Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a tecer falas de cunho racista a um apoiador negro que foi visitá-lo na saída do Palácio da Alvorada nesta quinta-feira (12/5). O homem a quem o presidente se referiu é o presidente da Câmara Municipal de Holambra (SP), Mauro Sérgio de Oliveira, conhecido como Serjão.

Ele se aproximou do presidente e, ao avistá-lo, o chefe do Executivo perguntou o peso de Serjão em arrobas, após um dos homens presentes ter dito que conseguiram levantá-lo em uma ocasião. A medida é usada para pesar animais de grande porte.

Olhando Oliveira de cima para baixo, Bolsonaro questionou: “Conseguiram te levantar? Tu pesa o quê? Mais de sete arrobas, né?”, disse arrancando risos dos demais apoiadores presentes.

Histórico

Em seguida, o chefe do Executivo lembrou que já foi processado pelo uso da expressão. "Sabia que eu já fui processado por isso? Chamei um cara de oito arrobas", ironizou. O episódio lembrado por Bolsonaro ocorreu em 2018, quando ele foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por racismo enquanto ainda era deputado federal.

Na data, Bolsonaro disse, durante um bate-papo ao qual foi convidado no Clube Hebraico, do Rio, que as reservas indígenas e quilombolas atrapalhavam a economia do país. “Eu já fui num quilombo. O afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada. Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gasto com eles”, afirmou.

Em julho do ano passado, Bolsonaro comentou sobre o estilo de cabelo black power de um apoiador e o questionou: "Como é que tá a criação de barata, aí?"

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE