COMBUSTÍVEIS

Bolsonaro: "Petrobras pode mergulhar o Brasil num caos"

Estatal anunciou nesta sexta-feira (17/6) que irá fazer reajuste no preço da gasolina e do diesel nas refinarias a partir de amanhã. "Preço médio de venda de gasolina da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro", avisou

Cristiane Noberto
postado em 17/06/2022 11:07 / atualizado em 17/06/2022 11:29
 (crédito: Reprodução)
(crédito: Reprodução)

Em meio à notícia de que a Petrobras fara um reajuste nos preços da gasolina e do diesel a partir deste sábado (18/6), o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que a estatal "pode mergulhar o Brasil num caos".

"A Petrobras pode mergulhar o Brasil num caos. Seus presidente, diretores e conselheiros bem sabem do que aconteceu com a greve dos caminhoneiros em 2018, e as consequências nefastas para a economia do Brasil e a vida do nosso povo", escreveu no Twitter nesta sexta-feira (17).

Bolsonaro voltou a comentar sobre o "lucro exagerado" da empresa em meio à crise mundial e o “interesse público” previsto na Lei das Estatais.

"O governo federal, como acionista, é contra qualquer reajuste nos combustíveis, não só pelo exagerado lucro da Petrobras em plena crise mundial, bem como pelo interesse público previsto na Lei das Estatais", escreveu.

De R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro

A petroleira anunciou na manhã de hoje que irá fazer reajuste no preço da gasolina e do diesel nas refinarias. A estatal afirmou que não aumenta os preços há 99 dias e que, a partir deste sábado, "o preço médio de venda de gasolina da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro". De acordo com a Petrobras, o último ajuste ocorreu em 11 de março.

No caso do diesel, após 39 dias, "o preço médio de venda da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 4,91 para R$ 5,61 por litro. O último ajuste ocorreu em 10 de maio". Os valores também já estarão nas refinarias no sábado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE