GRAVAÇÃO

Zé Trovão desafia STF e publica vídeo pedindo atos contra a Petrobras

Investigado por atos antidemocráticos, o Supremo proibiu o bolsonarista de fazer postagens nas redes sociais. Mesmo assim, ele incitou caminhoneiros a realizarem manifestações

Luana Patriolino
postado em 20/06/2022 17:43 / atualizado em 20/06/2022 17:58
 (crédito: Reprodução/Redes Sociais)
(crédito: Reprodução/Redes Sociais)

O bolsonarista Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, desafiou a ordem do Supremo Tribunal Federal (STF) — que o proibiu de fazer publicações nas redes sociais — e soltou um vídeo no Telegram, neste último final de semana. Na gravação, ele pede que os os caminhoneiros aguardem até a próxima semana para entrar em greve

Trovão é alvo de uma investigação por suspeita de organizar atos antidemocráticos. Ele admite ter ciência de que não poderia publicar na internet. “Estou colocando a minha liberdade em risco aqui”, disse no vídeo.

Os caminhoneiros já admitiram a possibilidade de paralisar as atividades, por conta do aumento do diesel, anunciado pela Petrobras na semana passada. Bolsonarista, Zé Trovão incitou os caminhoneiros a se manifestarem na frente das refinarias da Petrobras na próxima segunda-feira (27/6) e afirmou que a estatal planeja aplicar um golpe no país.

"Se isso não acontecer, na semana que vem a gente vai fazer uma coisa organizada", disse. “Bolsonaro está fazendo tudo o que pode para conseguir viabilizar o transporte brasileiro", afirmou.

Trovão foi preso no fim de outubro, após uma ordem de prisão do ministro do STF Alexandre de Moraes, por incitar violência e atos antidemocráticos nas manifestações do feriado do Dia da Independência. Ele permaneceu detido até o fim de dezembro, quando obteve autorização para prisão domiciliar.

Apesar do benefício, ele está proibido de fazer publicações em redes sociais e de manter contato com outros investigados.

Ataques às instituições

Zé Trovão é um dos principais personagens envolvidos na incitação de atos antidemocráticos de 7 de Setembro. Ainda não se sabe como e com quais recursos o bolsonarista escapou das buscas da Polícia Federal. O youtuber que incentivava paralisações e invasões ao STF e ao Congresso Nacional começou a ficar conhecido a partir de março deste ano.

Por meio do canal "Zé Trovão, a Voz das Estradas", hoje fora do ar, Marcos Gomes chegou a ter em torno de 40 mil seguidores no YouTube e depois migrou para o Telegram, onde ele já teve contas derrubadas, mas abriu novas.


 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE