Presidência da República

Bolsonaro tem apoio de participantes no evento de Marcha para Jesus

Pela terceira vez, o presidente discursa no evento com participantes, em sua maioria, evangélicos. O evento teve a data alterada para que Bolsonaro pudesse participar.

Tainá Andrade
postado em 25/06/2022 10:50 / atualizado em 25/06/2022 10:57
 (crédito: Clauber Cleber Caetano/PR)
(crédito: Clauber Cleber Caetano/PR)

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), discursará em alguns minutos no evento da Marcha para Jesus. Essa será a terceira vez que o presidente participa do evento, realizado em Balneário Camboriú, no litoral norte catarinense. Desta vez, Michele Bolsonaro estará ao lado dele e ele falará para uma plateia de cerca de 50 mil pessoas, em grande parte evangélicos. 

O evento teve a data modificada para alinhar com a agenda do presidente - aconteceria no dia 02 de julho e foi antecipado em um final de semana. Apoiadores de Bolsonaro, como Luciano Hang, têm se pronunciado nas redes sociais mostrando a expectativa dos participantes para ouvir o chefe do Executivo

Em uma das postagens, um vídeo mostra um senhor com a sanfona na mão, enrolado na bandeira do Brasil canta um repente - música rimada de forma improvisada com situações que acontecem no momento - e é apoiado por gritos de outras pessoas com a camisa brasileira. "Foi tanta roubalheira, é mensalão, é petrolão, Bolsonaro é o presidente, botou ordem na nação [...]. O Brasil está com você, quem tem Deus no coração não tem nada a temer. Para o bem do nosso povo e ter um Brasil decente, o Bolsonaro de novo será o nosso presidente", canta o participante do evento. 

"Povo animadíssimo na concentração pra ver e caminhar com o presidente Jair Bolsonaro na Marcha para Jesus. Como diz a música: para ver o mito vou a pé ou cavalo!", escreveu Hang. 

O presidente fará um discurso em meio às polêmicas envolvendo seu nome e o do ex-ministro da educação, Milton Ribeiro. O também pastor foi preso, essa semana, acusado de comandar um esquema de corrupção no Ministério da Educação (MEC), que envolvia outros pastores com livre trânsito no Palácio do Planalto. 

Ontem, uma conversa, autorizada pela Justiça Federal, mostrou uma conversa entre o ex-chefe do MEC e sua filha, realizada em 9 de junho, em que ele relata um telefonema de Bolsonaro no qual o presidente informa sobre a possibilidade da operação realizar busca e apreensão na casa de Milton. 

Bolsonaro chegou ao aeroporto de Santa Catarina e falou com manifestantes que o esperavam. De lá, partiu para a cidade litorânea, por volta das 9h15.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE