Encontro com o chef

Sabores da nonna: chef cria receitas cheias de afeto

Neta de italianos segue os passos da avó na cozinha e prepara comidas com gosto de almoço de família

Sibele Negromonte
postado em 16/08/2020 08:00 / atualizado em 16/08/2020 11:31
 (foto: Bruno Carvalho/Divulgação)
(foto: Bruno Carvalho/Divulgação)

Entre as melhores lembranças da infância, Ana Cláudia Morale recorda-se com carinho da época em que colhia flores de abobrinha com a avó Carolina De Lucca Morale, no quintal de casa, para, em seguida, empaná-las e fritá-las. Os primeiros passos dela na cozinha foram, literalmente, dados com a ajuda da nonna. “Ela colocava um caixote na frente do fogão e me chamava para cozinhar.”

Nascidos na região de Chieti, na Itália, os avós vieram para o Brasil com dois filhos. Aqui, aumentaram a família e retornaram para a terra natal, mas, tempos depois, parte dos parentes acabou voltando a viver em Brasília. Como a mãe de Cláudia era militar e viajava muito, a menina passava muito tempo com a nonna. “Enquanto cozinhávamos, ela me contava várias histórias, inclusive, as da guerra. Ela tinha trauma dessa época e isso se refletia nas mesas sempre fartas.”

Cozinheira de mão cheia, a nonna gostava de reunir a família nos almoços de fim de semana. Como vinha de uma família de agricultores, plantava tudo o que comia, assim como produzia as próprias massas, pães e molhos. Atenta, Cláudia foi aprendendo tudo. Quando cresceu, sabia exatamente com o que queria trabalhar. Mas, na época, Brasília não oferecia cursos de gastronomia e, meio a contragosto, entrou na faculdade de publicidade e propaganda.

Nunca chegou a exercer a profissão. Iniciou logo carreira como personal chef e passou a fazer eventos. Além de jantares e almoços personalizados, preparava o menu de festas de aniversário, casamento e celebrações em geral. “Os clientes tornaram-se amigos fiéis, pois sempre faço tudo com muito carinho e cuidado.”

Cláudia costumava participar de eventos na cidade, como o Bêbado Quadrado — festival de cerveja que, antes da pandemia, ocorria mensalmente. Desenvolveu até uma tartelete de caramelo e flor-de-sal com ganache de black ipa, em uma parceria com a cervejaria Brotherbrew. Aliás, a confeitaria tornou-se um desafio e uma paixão para a chef.

A nonna Carolina cozinhava muito bem, mas tinha um ponto fraco: os doces. “Ela não era boa em confeitaria, e eu sentia falta disso. Por isso, comecei a fazer cursos na área e a me especializar.” Casada com um nordestino, também, pegou apreço pela comida regional. “Aprendi muito com a avó do meu marido.”

Reinventando-se


Tudo ia bem na profissão. Pedidos não faltavam e Cláudia investiu pesado para equipar a cozinha. “Construí outra cozinha independente da minha, semi-industrial.” Lá, começou a dar aulas de gastronomia, outra paixão da chef. Mas, aí, veio a pandemia, os eventos sumiram e, de repente, ela precisou encontrar uma solução para manter os negócios.

Assim, surgiu o serviço de delivery, até então, uma novidade para Cláudia. Cercou-se de toda a segurança — as entregas são feitas por um motoqueiro que contratou — e montou um menu prático, mas, ao mesmo tempo, com gosto de afeto. São massas, carnes, caldos e pizzas congelados, além de bolos e doces. “Eu posso mudar o cardápio de acordo com a demanda dos clientes.”

E foi, justamente, essa demanda que a fez criar dois novos serviços: o menu afetivo e o specialy. No primeiro, ela prepara uma refeição sob medida para quem deseja celebrar alguma data no conforto do lar. No segundo, Cláudia cria cardápios especiais, com entrada, prato principal e sobremesa para a família — serve quatro pessoas. “É ideal para quem quer uma refeição gostosa, com tempero diferente, quentinha. É um carinho nestes tempos tão difíceis.”

A chef voltou a oferecer aulas particulares, em turmas com, no máximo, duas pessoas, e todos os protocolos de segurança. Mas é possível fazer cursos on-line, de várias temáticas. “Há um, por exemplo, que é básico, para quem quer começar do zero.”

Com uma horta e plantação de amoras no quintal de casa, assim como a nonna, Cláudia tenta, ao máximo, cultivar o que consome. “Faço uma comida que abraça”, resume.

Focaccia da chef Ana Cláudia Morale
Focaccia da chef Ana Cláudia Morale (foto: Arquivo Pessoal)


Receita de Focaccia

Ingredientes
* 500g farinha de trigo
* 1 colher de chá de sal
* 2 colheres de chá de açúcar
* 15g de fermento fresco
* 400ml de água gelada
* Flor-de-sal
* Pimenta
* Ervas frescas

Modo de fazer
* Bata todos os ingredientes com o gancho por 10 minutos e deixe crescer por duas horas. Unte a forma com óleo, abra a massa, coloque flor-de-sal, pimenta-do-reino e ervas frescas e leve pra assar a 220ºC por 10 minutos. Em seguida, abaixe a temperatura para 180ºC por mais 10 minutos. Tire do forno e sirva.


Serviço

Instagram: @anaclaudiamorale
WhatsApp: 61-982031526
Site: www.anaclaudiamorale.
com/vamoscozinhar

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação