TV+

Nas telas, decoração no melhor estilo ''faça você mesmo''

Programas de reforma ganham novas temporadas em que mostram os participantes realizando as obras enquanto são guiados pelos apresentadores

Adriana Izel
postado em 26/08/2020 10:36 / atualizado em 26/08/2020 14:26
 (foto: Georgiana Góes/Divulgação)
(foto: Georgiana Góes/Divulgação)

Reorganizar armários. Pintar os cômodos. E até derrubar paredes. Tudo isso coube aos participantes nas novas temporadas de três programas de decoração da televisão fechada: Santa ajuda, que ganhou o título Santa ajude-se na pandemia; Arrasta móveis, novidade na programação televisiva; e Te devo essa: Reforma das estrelas, spin-off do fenômeno Irmãos à obra.

No ar desde 2011 no GNT, sob comando de Micaela Góes, o Santa ajuda tem como característica arrumar a bagunça da casa dos participantes a partir dos conselhos da personal organizer e apresentadora. Por conta da pandemia, a 12ª temporada, que estreou na primeira semana de agosto com episódios inéditos todas às terças, às 21h45, mudou de título e também a dinâmica.

Por ter sido gravado de forma remota, agora a atração se chama Santa ajude-se, já que Micaela dá os conselhos a distância, e a missão de organização fica com os próprios convidados. “O Santa ajuda virou Santa ajude-se. A adequação para o formato remoto tem sido um processo de aprendizado permanente. Tem sido um aprendizado técnico. Outra nova descoberta é o reinventar de como funciona a consultoria da organização a distância. Também estou aprendendo a fazer isso”, revela.

A cada episódio, Micaela Góes conversa com o participantes, por aplicativo de videoconferência, e dá os ensinando para executar os métodos de organização, antes feitos por ela. “Passo as orientações, mas quem executa o trabalho da organização é a própria pessoa que fez a bagunça. Então, é mais interessante ainda, porque ela se relaciona com os mecanismos que a fizeram chegar naquele ponto de bagunça. E, também, se relaciona com os mecanismos que vão tirá-la daquela situação da bagunça.”

As gravações do Santa ajude-se ocorrem na casa da família de Micaela Góes, na região serrana do Rio de Janeiro. A apresentadora conta com o apoio da irmã Georgina Góes e de um amigo, ambos isolados com ela desde o início da quarentena. “No set de filmagem, normalmente, temos até 30 pessoas executando uma tarefa diferente. Aqui, somos três pessoas: eu, minha irmã Georgiana e o Augusto, um amigo nosso que veio se juntar a nós no isolamento, é técnico e está trabalhando conosco. Além de toda uma estrutura remota da Conspiração Filmes, que nos auxilia a distância”, explica. As filhas, inclusive, participaram de um dos episódios da atração. “Muitos desafios para gravar em casa. Peguei um quarto extra de hóspedes, que tenho aqui em casa, desmontei todo, tiramos todos os móveis e fizemos um estúdio. Recebi todo equipamento da produtora e a gente montou um estúdio nesse quarto. Foi a primeira adaptação. Isso mobiliza a família inteira”, completa.

Transformando ambientes

O sucesso na internet levou o influenciador digital Matheus Ilt, conhecido nas redes sociais por reformas criativas e baratas, ao comando do Arrasta móveis, novo programa do GNT de obra, com exibição às terças, às 21h30. Gravado remotamente na casa do apresentador em São Paulo, a atração o mostra ajudando pessoas a transformarem a própria casa com dicas simples. “Estou chegando para te ajudar a fazer pequenas mudanças no seu ambiente e deixá-lo mais ainda com a sua cara”, diz ele na chamada do programa.

Nos episódios, Matheus Ilt faz um tour virtual pela casa dos participantes e cria um projeto que aproveita tudo o que a família já possui, para que eles mesmos realizem pequenas intervenções, como pinturas, ajustes de iluminação e revitalização de móveis. O objetivo é tornar os ambientes funcionais e mais acolhedores.

Reforma dos famosos

Os irmãos gêmeos Drew e Jonathan Scott são referência quando se fala de reforma e programa de televisão. À frente desde 2011 do Irmãos à obra, a dupla tem um novo desafio no spin-off do programa lançado no último dia 13 no Discovery Home & Health, com exibição às quintas às 22h55.

Te devo essa: Reforma das estrelas, nome da nova atração, coloca personalidades famosas, com apoio dos irmãos, fazendo obras que serão dadas de presente para alguém que eles amam. A temporada é composta por nomes que chamam muita atenção de Viola Davis a Brad Pitt, passando por Michael Bublé, Rebel Wilson e Melissa McCarthy.

A atração chega ao Brasil quatro meses depois da estreia nos Estados Unidos. Até por isso, o programa não foi impactado pela pandemia do novo coronavírus. “Foi muito legal ver alguém que é uma celebridade tão grande querer entrar lá e colocar a mão na massa”, definiu Jonathan Scott em entrevista à revista Monet.


Três perguntas // Micaela Góes

Na pandemia, percebe-se um maior número de pessoas investindo em reformas ou até pequenas mudanças em casa. Por que acha que isso aconteceu?
Acho que nesse período em que todos estamos em casa, ressignificamos nossa relação com ela. A gente vem passando um tempo em casa que nunca passamos antes. O tempo que tínhamos para experienciar, vivenciar e viver a casa era muito restrito, e agora tem sido muito mais intenso. Com isso, despertamos para vários incômodos e coisas que não funcionam. Nos fez perceber coisas importantes como ter uma vista, uma varanda, bater sol. A gente não percebia porque ficava muito tempo fora. Isso tem estimulando as pessoas a quererem organizar e cuidar das suas casas.

Você também sentiu essa vontade?
Tenho visto muita gente se inspirando nesses tempos para fazer modificações, e eu não sou diferente. Até porque, penso nisso o tempo inteiro, tenho vontade fazer alterações o tempo inteiro (risos). Eu me inspiro nessas mudanças internas que estimulam as mudanças externas. Isso tem sido muito presente nesse período.

Como tem sido a sua quarentena?
Minha quarentena também tem sido de muito aprendizado. Eu, meu marido e minhas filhas gêmeas, de 10 anos, fizemos uma escolha. Fechamos nosso apartamento no Rio de Janeiro, onde moramos, e viemos para um chalezinho pequeno que temos na serra fluminense. Aqui estamos mais perto da natureza, mais protegidos dos contatos e dos contágios. Estamos experimentando viver com menos, mais perto da terra e da natureza. Aprendendo a fazer compostagem, aproveitando os caroços das frutas, verduras e legumes, replantando. Vivendo uma vida diferente da que vivemos na cidade. No corre-corre quase nunca temos essa oportunidade. Para nós, tem sido muito bom, todos se envolvem e se relacionam nas atividades da casa, o que vai ser servido, a louça que se lava, a roupa que se suja. Temos aproveitado essa oportunidade para aprender e ensinar as crianças com toda essa vivência.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação