Encontro com o Chef

Encontrando-se na gastronomia: Jovem redescobre paixão pelas panelas

Durante a pandemia, advogada reacende o gosto pela cozinha e passa a comercializar escondidinho com tempero piauiense

Sibele Negromonte
postado em 30/08/2020 08:00
 (foto: Ana Rayssa)
(foto: Ana Rayssa)

Se, para muitos, a pandemia tem sido uma fase difícil no trabalho, para Amanda Barreto, foi o momento certo para se encontrar profissionalmente. Formada em direito, a jovem de 26 anos soube, ainda durante o curso, que não queria ser advogada, mas concluiu a faculdade mesmo assim. Como toca vários instrumentos e é compositora, resolveu, então, dar aulas de música, uma grande paixão, mas logo percebeu que aquele, também, não era o caminho que trilharia.

Desde a adolescência, nutria outro hobby: a gastronomia. Filha de piauiense, costumava passar as férias na casa da avó, que mora em Teresina, e cozinhar com ela. Assim, foi aprendendo pratos típicos do Nordeste e acabou se tornando a “chef” dos almoços de família. “Temos uma família grande. Antes da pandemia, costumávamos nos reunir aos domingos. Algumas vezes, até tinha ajuda na cozinha, mas, na maioria das vezes, não”, diverte-se.

Em março, logo que começou o período de isolamento, uma amiga foi almoçar na casa de Amanda e, como ela é alérgica a glúten e lactose, a jovem decidiu fazer um escondidinho de carne seca com macaxeira, bem à moda nordestina, para recebê-la. “Ela amou, disse que era o melhor escondidinho que já tinha comido na vida e publicou uma foto do prato em sua conta do Instagram.”

A postagem fez sucesso e várias pessoas procuraram a amiga de Amanda perguntando como fazer uma encomenda. “Ela foi me colocando em contato com esses interessados e eu resolvi arriscar. No primeiro fim de semana, já tinha 18 pedidos.” Com o apoio dos pais e do irmão, resolveu investir na nova atividade. “Comprei utensílios e um forno industrial. Equipei a cozinha e criei uma conta comercial no Instagram.” Surgia, assim, a Amandioca.

No início, ela só comercializava o escondidinho de carne seca, receita aprendida com a avó Brisdete. Com o sucesso, ampliou o cardápio. Hoje, são nove sabores, incluindo bacalhau, camarão, calabresa com catupiri, frango, filé com gorgonzola e siri. Recentemente, Amanda criou um recheio de shiitake e shimeji que, garante, tem sido o campeão de vendas. Os pratos acompanham arroz e batata palha, servem duas pessoas e devem ser, preferencialmente, encomendado com 24 horas de antecedência.

Planos pós-pandemia

Empolgada, a cozinheira já faz planos para quando a pandemia passar. Primeiro, quer se matricular em um curso de gastronomia para aprimorar as técnicas e aumentar o conhecimento culinário. “Sempre fui muito curiosa, leio e assisto a muitos programas e vídeos de culinária, sem falar em tudo o que aprendi com a minha avó, mas preciso estudar.”

O segundo passo é expandir os negócios, quem sabe até abrir uma loja física. No Dia dos Pais, ela, inclusive, foi além dos escondidinhos e preparou vatapá piauiense, receita, também, da avó. Amanda explica a diferença: “Além do camarão fresco, preparamos um molho com camarão seco batido com leite e usamos um pouco de dendê, só para dar uma cor. É uma delícia”.

O prato agradou tanto aos clientes na data festiva, que ela pretende incluir no menu nos fins de semana. Com os leitores da coluna, a cozinheira compartilha uma receita simples e fácil de fazer: empadão de batata-doce. E o melhor: é possível usar diversos recheios.

Para Amanda, a Amandioca deu outro sentido à sua vida. “Senti no coração que era isso que eu queria fazer. É como se tivesse virado uma chave e me encontrado”, comemora.

 

BATATA-DOCE RECHEADA COM CARNE MOÍDA

Receita de empadão de batata-doce
Receita de empadão de batata-doce (foto: Arquivo pessoal)

Ingredientes
3 batatas-doces grandes
1 ovo
1 caixa de creme de leite
1 colher de sopa de maisena
4 colheres de sopa de parmesão ralado
1 colher de chá de sal
500g de carne moída
Temperos

Modo de fazer
Cozinhe as batatas e amasse-as bem, acrescente a clara do ovo, metade da caixa de creme de leite, a maisena, o queijo ralado e o sal. Em uma panela, refogue a carne moída com os temperos que gostar (cebola, tomate, pimenta-do-reino, alho, salsinha e outros que desejar).
Abra a batata no pirex que for assar e coloque a carne refogada no meio e vá fechando com uma faca, a qual você molha numa mistura de manteiga com uma gema. Vá fechando a massa em formato de pastelão.
Leve ao forno à temperatura de 180º a 200º graus para gratinar.
Você pode substituir a carne moída por qualquer outro recheio.

Serviço
Instagram: @amandioca_gastronomia
WhatsApp: 9 9366-0766

 

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação