Próximo Capítulo

E o Emmy vai para...

Adriana Izel
Vinicius Nader
postado em 17/09/2020 18:53
 (crédito: Mark Ralston/AFP)
(crédito: Mark Ralston/AFP)

 

A famosa frase da premiação será entoada diversas vezes na noite de hoje, data em que o Emmy Awards entrega as estatuetas dos melhores da televisão norte-americana. Essa é a 72ª edição e celebra as produções exibidas entre 1º de junho de 2019 e 31 de maio de 2020. A cerimônia será, pela primeira vez, completamente virtual por conta da pandemia do novo coronavírus e sob comando do humorista Jimmy Kimmel. É possível acompanhar tudo pela telinha a partir das 21h, na TNT.

Ansioso pelo anúncio dos vencedores, o Próximo Capítulo faz as apostas sobre quem deve levar a melhor. Confira a seguir! E se, discordar, vá até ao blog e deixe nos comentários que produções você acha que leva a melhor!

Vinicius Nader

 (crédito: HBO/Divulgação)
crédito: HBO/Divulgação

Comédia

Melhor série — O ano não foi das comédias, segundo os votantes do Emmy, que apresentaram uma lista com poucas novidades. Entre elas, Disque amiga para matar, um azarão na disputa. De olho na representatividade, o prêmio pode ir para Insecure, mas O método Kominsky e The Marvelous Mrs. Maisel têm a minha preferência.

Melhor ator — Michael Douglas continua muito bem em O método Kominsky, mas não saiu da zona de conforto criada para o personagem. Ficaria mais feliz em casos de vitória de Don Cheadle (Black monday) ou Ramy Yousseff (Ramy).

Melhor atriz — Disque amiga para matar emplacou duas indicadas — Christina Applegate e Linda Cardellini. Mas minha torcida mesmo vai para Tracee Ellis Ross, a verdadeira dona de Black-ish. Issa Rae, de Insecure, e Rachel Brosnahan (The marvelous Mrs. Maisel) não me deixariam triste.

Drama

Melhor série — Assim como nas comédias, a renovação aqui é pouca. Succession tem a seu favor que melhora a cada temporada, o que é raro. The Crown não está fora do páreo e seria, no mínimo, curioso ver o Emmy ir parar nas mãos de The Mandalorian.

Melhor ator — Brian Cox (Succession) ganhou o Globo de Ouro, o que pode abrir caminho para uma vitória logo mais. Com um papel que foge um pouco do que costuma fazer, Steve Carell (The Morning show) seria uma daquelas surpresas para acordar quem estiver assistindo à cerimônia em casa.

Melhor atriz — Jodie Comer e Sandra Oh bem que poderiam dividir o prêmio: as duas estão à vontade em Killing Eve e fica até difícil escolher uma torcida. Não se pode ignorar a chance de Zendaya fazer justiça a Euphoria. A série foi praticamente
ignorada pela academia, na opinião de muitos, injustamente.


Minissérie

Melhor minissérie — Talvez, essa seja a categoria em que eu premiasse com gosto qualquer uma das finalistas. Pelo número de indicações, Watchmen sai na frente. Mas Pequenos incêndios por toda parte e Mrs. America podem atrapalhar a festa.

Melhor ator — Aí eu tenho um favorito claro: Mark Ruffallo (foto) entrega não só um, mas dois papéis em I know this much is true os diferenciando com sutilezas. Difícil imaginar se a série teria força sem ele.

Melhor atriz — A jovem Shira Haas impressiona em Nada ortodoxa, mas deve ser aquele caso em que a indicação já é o prêmio. Embora eu torça por Kerry Washington (Pequenos incêndios por toda parte), acho que será difícil Regina King (sempre maravilhosa) perder por Watchmen.

Adriana Izel

 (crédito: HBO/Divulgação)
crédito: HBO/Divulgação

Comédia

Melhor série — A academia costuma ter queridinhos e, no caso da categoria de comédia, há algum tempo o Emmy e as outras premiações estão celebrando The Marvelous Mrs. Maisel. Tudo indica que a série possa levar. Mas é importante ressaltar que The good place encerrou a trajetória, o que também costuma ser indicativo de prêmio. Neste caso, minha torcida é por ela.

Melhor ator — Seguindo a linha de que The good place chegou ao final e, por isso, a produção tem toda a pinta de que sairá do Emmy com alguns prêmios, Ted Danson aparece entre os favoritos. Essa é a chance de a academia premiar o astro, que já havia sido indicado outras duas vezes pelo papel de Michael, mas não venceu. Merece. Mas não me assustaria se o prêmio fosse para Anthony Anderson por Black-ish ou Ramy Youssef por Ramy.

Melhor atriz — A favorita ao prêmio é Rachel Brosnahan, de The Marvelous Mrs. Maisel. Ela já levou a estatueta em 2018. Minha torcida é para ela. No entanto, nomes como Issa Rae, de Insecure, e Catherine O’hara, de Schitt’s Creek, podem surpreender.

Drama

Melhor série — Pelo burburinho na mídia especializada internacional, Succession deve ser a grande vencedora. Particularmente gosto da temporada de The Crown e Ozark também é outra série que merece uma estatueta.

Melhor ator — Qualquer um da lista merece o prêmio, mas deve ficar entre Brian Cox e Jeremy Strong, ambos de Succession.

Melhor atriz — Por ter gostado bastante da temporada de The Crown, minha torcida fica para Olivia Colman, que assumiu o papel de Rainha Elizabeth. Mas Laura Linney aparece forte pela atuação em Ozark.


Minissérie

Melhor minissérie — Pelo momento que vive os Estados Unidos de tensão racial e pela quantidade de indicações, 26 ao todo, Watchmen deve ser a grande vencedora da categoria. Outra produção que também preenche bem esses critérios é Little fires everywhere.

Melhor atriz — A disputa é grande, porque entre as cinco indicadas, apenas uma não é uma figura muito conhecida e importante de Hollywood, a novata Shira Haas, de Nada ortodoxa. Adoraria ver Octavia Spencer levando o prêmio por A vida e a história de Madam C.J. Walker (foto). Porém, a briga deve ficar entre Regina King, por Watchmen, e Cate Blanchett por Mrs. America.

Melhor ator — Pelo mérito de viver dois personagens em I know this much is true, Mark Ruffallo deveria ganhar o Emmy. Mesmo assim Jeremy Irons, de Watchmen, pode deixar a briga acirrada na categoria.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação