Casa

Tudo à mostra

O uso de transparências na decoração, além de dar a impressão de amplitude, leva modernidade e personalidade ao ambiente

Renata Rusky
postado em 24/09/2020 18:07
 (crédito: Roberto Majola/Todeschini)
(crédito: Roberto Majola/Todeschini)

Com aspecto moderno, a transparência na decoração é uma boa opção para ampliar espaços com personalidade. Do tradicional tampo de mesa de vidro até a mais nova tendência de portas de armário de closets e de cozinha que permitem que se veja tudo por dentro, as possibilidades são muitas e apresentam vantagens, tanto estéticas quanto para a rotina.

Segundo o arquiteto Marcelo Rosset, as transparências são usadas, principalmente, quando se tem a intenção de dar sensação de amplitude ao espaço. Portanto, o recurso é ideal para apartamentos pequenos. “Uma porta de correr leitosa, com uma textura que permita enxergar um pouquinho a outra sala, faz divisão dando continuidade, sem pesar muito”, exemplifica.

Essa possibilidade de ver o que está do outro lado, de acordo com o profissional, faz com que, em um armário, os objetos guardados integrem a decoração. “A informação interna fará parte do visual externo”, explica. Portanto, para quem tem uma coleção de louças e acha que elas podem funcionar como objetos decorativos, portas transparentes podem ser ideiais.

No entanto, é necessário organização. “É prático já saber o que está lá dentro. Mas, em um closet, se a pessoa é desorganizada, talvez seja melhor não recorrer a esse recurso. Só vale a pena se você mostrar algo bonito”, alerta.

Para a arquiteta Silvana Albuquerque, porém, pode ser um estímulo para manter os objetos em ordem. “Se a gente mostra, acaba organizando mais do que escondendo. E, com o tempo, a pessoa vai percebendo que a vida fica muito mais prática, quando está tudo à mão”, defende a especialista.

O equilíbrio

Mas, se a transparência amplia, dá leveza e traz outros objetos para a decoração, ela tem como característica a frieza. “O vidro não traz tanto aconchego”, explica Silvana. Mas ele combina com tudo, então, é possível equilibrar os materiais para deixar o ambiente mais quente. “E ele dá liberdade para pesar mais em outros elementos. Se tiver uma mesa de jantar de vidro transparente, pode pesar nas cadeiras, pode ter estampa, um design mais elaborado”, completa Marcelo.

Uma cozinha toda em transparências — mesa com tampo de vidro, cadeiras em acrílico e portas de armário translúcidas — pode passar uma sensação de pouco acolhimento. “São projetos diferentes, mas eu gosto de equilíbrio, de não colocar tudo em madeira, tudo em vidro. É um jeito de personalizar”, afirma Silvana


 

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação