Próximo Capítulo

Novela como antigamente

Adriana Izel
Vinicius Nader
postado em 24/09/2020 18:23
 (crédito: Globo/Divulgação)
(crédito: Globo/Divulgação)

Traição, vingança, triângulos amorosos e uma pitada de humor. A receita para o clássico folhetim é seguida à risca em Meu bem, meu mal, novela de Cassiano Gabus Mendes que entra amanhã no catálogo do Globoplay. Exibida originalmente em 1990, a trama tem direção de Paulo Ubiratan e ficou marcada pelo personagem de Lima Duarte, Dom Lázaro Venturini.

Empresário bem-sucedido, Dom Lázaro sofre um derrame ao descobrir um caso da nora Isadora Venturini (Sílvia Pfeifer) com o sócio dele, Ricardo Miranda (José Mayer). O caso deles tem mais peso para Lázaro porque o filho e marido de Isadora, Cláudio (Herson Capri), tinha morrido havia pouco tempo. Além disso, Ricardo é fruto de uma traição da esposa de Lázaro no passado, o que é um segredo para outros personagens até então.

Meu bem, meu mal foi um marco na carreira de Silvia Pfeifer, lembrada até hoje pela personagem. A vingança de Patrícia (Adriana Esteves) contra Ricardo movimenta a trama. Ele foi um dos responsáveis pela ruína do pai dela, Felipe (Armando Bógus). Mas é claro que, no meio do caminho, a moça se apaixona pelo vilão.

O elenco de Meu bem, meu mal ainda tinha como um dos destaques Isis de Oliveira como a divertida e vingativa Mimi Toledo. Mas a atriz saiu da novela no meio, deixando a trama meio que à deriva. Além dela, Jorge Dória, Zilda Cardoso e Marcos Paulo foram elogiados.

Prata da casa

 (crédito: Edu Rabin/Divulgação)
crédito: Edu Rabin/Divulgação

O brasiliense já está se acostumando a ver o ator João Campos mostrando o que aprendeu nos palcos da capital federal pelo Brasil afora, na telinha. A partir de terça-feira, ele estará em A bênção, série original que o Canal Brasil estreia às 21h. Sob a direção de Davi de Oliveira Pinheiro e Emiliano Cunha, João vive o policial Julio, que perde o medo de enfrentar o crime ao ter contato com um medicamento experimental criado por Arthur (Aldri Anunciação) e Lerner (Werner Schünemann). O remédio, batizado de Bênção, tira o medo que as pessoas têm da morte. E a série questiona: sem o medo da morte, o que somos? Os oito episódios de A bênção estarão no aplicativo do Canal Brasil no dia da estreia.

O que vem por aí

Na quarta-feira, a Netflix lança Cenas de um homicídio: Uma família vizinha

Na quinta, o serviço de streaming tem outro lançamento: a série nacional Bom dia, Verônica

Na sexta-feira, a Universal TV faz a pré-estreia de Devils, com Patrick Dempsey

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação