Fitness E nutrição

Além da água

Conheça bebidas saudáveis e as suas propriedades, como melhorar a digestão e elevar o nível de fibra e nutrientes

Tayanne Silva*
postado em 26/11/2020 18:02
 (crédito: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
(crédito: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)

Hidratar-se é essencial para o corpo, pois beneficia a pele, os tecidos e outros órgãos, como os rins. Além da água, existem bebidas que podem trazer melhorias ao organismo. “As com mais fibras são as naturais, os sucos de frutas variadas — de preferência preparados com a casca — e o leite — de aveia, de arroz”, explica Nívea Bordin, nutróloga da Clínica Leger.

De acordo com a médica, as bebidas industrializadas, normalmente, têm fibras sintéticas adicionadas e devem ser evitadas. “É preferível optar pela fibra natural, embora os sucos, quando são preparados, acabem perdendo mais a fibra se comparado à fruta em si”, detalha.

Ela alerta, porém, que o consumo de água é indispensável — o indivíduo precisa beber 30ml de água por kg durante o dia. “O suco não a substitui, entretanto, também é muito saudável, porque tem uma quantidade de nutrientes que traz um retorno bom.”

Mas e se a água é com sabor? “Existem pessoas que têm dificuldade de ingerir água, por isso a saborizada é uma boa alternativa, inclusive, para substituir os refrigerantes. São adicionadas com frutas, ervas e especiarias que podem ter propriedades termogênicas, de baixa calorias e ajudam na hidratação”, afirma a nutricionista Lanuzza Meireles Monte. “São melhores do que os refrigerantes. Contudo, prefira as frescas e as naturais do que as industrializadas.”

E a água de coco industrializada? “Comparada a outras bebidas açucaradas que existem por aí, é a melhor opção, já que tem baixa caloria”, constata Lanuzza. Porém, ela faz um alerta que se deve prestar atenção à quantidade de sódio e à adição de 1% de açúcar (frutose) de algumas marcas. “Quanto menor o teor de sódio, melhor! E se puder, prefira sempre a natural.”

Criscia Batista Correa, 40 anos, toma várias bebidas saudáveis, como chá de boldo, suco de couve com laranja, de couve com limão, beterraba com limão, beterraba com laranja e abacaxi com couve. “Toda semana, bebo chá de boldo para cuidar do estômago, já que fiz cirurgia bariátrica. As outras bebidas ajudam a suplementar o ferro do organismo”, conta a designer gráfica, que é acompanhada por uma nutricionista.

Sabor e nutrientes

A dica de Lanuzza para os sucos é consumir os naturais e adicionar sementes, folhas verdes e legumes, pois costumam ter um maior teor de fibras. “O suco verde faz uma boa combinação com couve, abacaxi, hortelã, gengibre. Já o de beterraba vai bem com limão e espinafre”, sugere a nutricionista.

Além de ajudar na digestão, melhoram a constipação. Porém, vale ressaltar que as fibras oxidam (se perdem) rapidamente. “A melhor maneira de aproveitar ao máximo as propriedades é bater tudo num processador e ingerir no mesmo ato, de preferência sem coar”, orienta. Para aqueles que gostam de sentir um sabor adocicado, a sugestão é misturar alguma fruta mais doce (abacaxi, morango, melancia, laranja).

Para quem está em jejum, segundo a nutróloga Nívea, é melhor optar por bebidas que promovam hidratação ou que tenham alguma funcionalidade, como água ou água de coco, chás digestivos (hortelã/alecrim/alcaçuz/espinheira santa) e café. “Deve-se evitar as açucaradas e cheias de corantes e aditivos químicos, como achocolatados, sucos artificiais de caixinha e refrigerantes ou energéticos.” O alto teor de açúcar atrapalha no emagrecimento, eleva a glicemia e causa desequilíbrio intestinal.

*Estagiária sob a supervisão de Sibele Negromonte

Os benefícios do café

 (crédito: Arquivo Pessoal)
crédito: Arquivo Pessoal

O café é uma das bebidas mais consumidas globalmente. É composto por mais de 1.000 ingredientes ativos, como cafeína, minerais, vitaminas, compostos fenólicos, polissacarídeos, lipídeos e aminoácidos. Além disso, é benéfico para a saúde intestinal, pois ajuda a melhorar as contrações musculares no intestino, aumentando a motilidade do músculo liso no trato gastrointestinal. Contudo, é necessário controle com os excessos.

Fonte: nutróloga Marcella Garcez

Alimentos ricos em fibras

Todas as frutas têm fibras, a exemplo de abacate, abacaxi, figo, goiaba, banana, maçã, laranja, uva, melão.
Agrião, erva-doce, espinafre, repolho, beterraba, aipo, abóbora, brócolis e cenoura.
Entre as leguminosas, feijão-branco, preto, lentilha, ervilha, grão-de-bico, quinoa.
Entre os farelos, linhaça, aveia, milho e trigo.
Além dos pães e biscoitos integrais, as sementes, gergelim, chia, linhaça e abóbora.

O que deve ser evitado?
Bebidas adicionadas de açúcar que, às vezes, vêm com outros nomes como: açúcar invertido, sacarose, xarope de milho, glicose, xarope de frutose, maltodextrina.
Excesso de adoçantes artificiais como aqueles à base de sucralose, aspartame, sacarina e ciclamato acessulfame-K.
Isotônicos. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), são alimentos classificados como suplementos, destinado à hidratação de atletas. Em excesso, podem elevar a pressão arterial, acelerar batimentos cardíacos e causar problemas renais.
Bebidas alcoólicas. Se consumidas em baixa quantidade e frequência não fazem mal à saúde. A Organização Mundial da Saúde (OMS) relata que a ingestão moderada faz bem ao organismo, principalmente, se for vinho, que, por ser rico em polifenóis, tem efeito protetor ao coração. Uma dose de vinho tinto ao dia equivale a uma taça com aproximadamente 150ml. Lembrando que a bebida alcoólica é contraindicada na presença do uso de medicação controlada, pessoas hipertensas e diabéticas.

Fontes: Nívea Bordin, nutróloga da Clínica Leger e, nutricionista Lanuzza Meireles Monte

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE