Especialistas explicam os cuidados e os benefícios de dormir com o amiguinho

Para quem ama dormir com o pet, saiba que isso traz benefícios tanto para o dono quanto para o animalzinho

Tayanne Silva*
postado em 17/01/2021 11:00
 (crédito: Arquivo pessoal)
(crédito: Arquivo pessoal)

 

 

Para quem ama dormir com o pet, saiba que essa atitude traz benefícios tanto para o dono quanto para o animalzinho, como aumentar a sensação de segurança e, por consequência, melhorar a qualidade do sono. “Também é capaz de diminuir o sentimento de solidão e proporcionar um estado ótimo de saúde mental para o tutor”, informa Amanda Peres, médica veterinária da DogHero.

De acordo com Cleber Santos, especialista em comportamento animal, há um grande número de estudos que mostram os benefícios mentais e físicos de dormir com o cachorro, por exemplo, liberar ocitocina no cérebro. “Para você entender do que se trata esse hormônio, basta lembrar de quando você se apaixonou ou de quando estamos perto de um bebê. Esse hormônio está associado a ondas cerebrais theta, que são encontradas no sono”, explica.

Isso significa, na prática, que você tem sono de melhor qualidade quando dorme com o companheirinho. “Todo esse campo hormonal ajuda a atenuar ansiedade e estresse”, diz o especialista. Além disso, ele informa que algumas pessoas que sofrem de transtorno pós-traumático relatam que, ao dormir com os pets, os pesadelos diminuíram.

Cuidados necessários

Segundo a veterinária Amanda Peres, para o tutor que gosta de ter a companhia do cão ou do gato ao dormir, é importante deixar a porta aberta, para que o animal tenha liberdade de se levantar e de sair. “É primordial, ainda, que a saúde dele esteja em dia, ou seja, com as vacinas, vermífugos e anti-ectoparasitário (antipulgas e anticarrapato) atualizados”, orienta ela, formada pela Universidade Anhembi Morumbi (SP).

Outra rotina que o dono deve ter é lavar as patas do bicho com água corrente, sabão neutro e secar bem elas ao chegar dos passeios. “Isso é para não ter riscos de contaminações por vírus e bactérias”, expõe Amanda, que tem experiência em clínica e especialização em diagnóstico por imagem.

Se o animal tiver alguma alergia ou algum problema de saúde, precisa ir ao veterinário de confiança e o dono deve perguntar se eles pode dormir juntos na cama. “Caso tenha um sono muito leve, não será saudável para você, que pode acordar algumas vezes durante a noite. A qualidade do sono será prejudicada”, diz.

Segundo a veterinária, também é preciso prestar atenção na altura da cama, pois, pode ser perigoso para animais filhotes, idosos, com mobilidade reduzida ou alguma outra restrição. Isso pode causar um acidente.

Eliaine Souza, 34 anos, é dona de dois cães Maylon (SRD — sem raça definida), Marujo (poodle), além do gato Popeye (SRD). Ela conta que eles sempre tiveram caminha desde que foram adotados. “Mas fazem questão de dormir no pé da minha cama, como se estivessem me protegendo”, conta ela, que trabalha com relações públicas.

Os bichos nunca foram acostumados a dormir na cama dela por uma questão de higiene. “Meus animais tomam banham semanalmente ou, no máximo, com intervalo de 15 dias. Porém, eles adoram subir no sofá, na poltrona, para brincarem ou para ficarem próximos”, diz.

Segundo Eliaine, o gatinho vivia na rua, brigava muito, sempre chegava em casa com ferimentos e sujo. Então, decidiu castrá-lo e, hoje, raramente ele vai para rua. Em casa tem uma área grande e bichano fica tomando banho de sol.

“O Maylon e o Marujo sabem o horário do passeio e esperam ansiosamente por esse momento, mas eu tenho uma certa preocupação em levá-los na pracinha. Fico preocupada com outros animais, doenças, sujeiras, cacos de vidro e objetos pontiagudos.”

Dormir sem o dono

Para acostumar o animal à sua nova cama, deve-se iniciar um processo de condicionamento, chamado de P.H.D (paciência, habilidade e disciplina). “Tomando alguns cuidados, podemos fazer com que ele se sinta confortável com a mudança”, informa Cleber Santos, também adestrador e especialista em comportamento animal. Confira, a seguir, as orientações dele:

  • Preste atenção em como seu pet dorme, para escolher um formato de cama que seja confortável para ele. Se ele fica mais esticado, um colchão retangular pode ser o mais apropriado; se ele se enrola como uma bola, as caminhas redondas são uma boa pedida.
  • Coloque a caminha em um local confortável e familiar para ele. Não adianta comprar uma “super” cama e deixá-la na lavanderia, onde ele nunca fica. Coloque-a em locais onde ele esteja acostumado a estar.
  • Comece jogando petisco picadinho na cama dele e diga “caminha” ou “cama” para que suba e vá se acostumando com o local de uma maneira calma e tranquila. Deixe que ele fique procurando petiscos na cama e elogie sempre que estiver lá.
  • Coloque os brinquedos favoritos na cama e interaja com ele. Deixe também uma peça de roupa usada sua na caminha nos primeiros dias, para ser um atrativo. Aos poucos, vá acostumando a ficar na caminha, sempre associando a algo bom, como petisco, brinquedos e, o principal, sua atenção e seu carinho.
  • Na primeira noite que for deixá-lo na cama, faça um passeio longo com várias atividades, para que se canse e, ao voltar, vá com ele até o local e indique: cama. Se o animal for direto para lá e já se sentar ou deitar, elogie e recompense-o pelo bom comportamento.
  • Importante lembrar que o pet pode não entender, inicialmente, que passará a dormir em sua própria cama. Por isso, tente ir para o local onde está acostumado, tire-o e devolva-o ao local onde ele passará a dormir, mesmo que faça aquela famosa carinha de pidão.
  • Ah, lembre-se de sempre recompensá-lo quando estiver na própria caminha, assim, ele associará o local com recompensas, elogios e petiscos. O mais importante é ter paciência e se dedicar ao treino. Logo, ele entenderá onde é seu local para dormir e irá se acostumar. Um cão leva aproximadamente quatro semanas para a adaptação total.


Tome cuidado!

  1. É um risco dormir com animais muito pequenos. Por serem mais suscetíveis aos seus movimentos durante a noite, você pode machucá-los e até sufocá-los, especialmente, se o sono do tutor for muito pesado.
  2. Camas muito altas para animais que se mexem bastante durante a noite não é uma boa ideia, visto que eles podem cair e sofrer alguma lesão. Dica: teruma rampa ou escadinha para que o pet possa descer da cama quando sentir necessidade;
  3. Certifique-se de que seu animal fez xixi e cocô antes de ir para a cama, evitando imprevistos durante a noite;

Fonte: Petz


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE