Encontro com o chef

Chef transforma chocolate em bombons que mais parecem joias

Confeiteira troca Mato Grosso por Brasília e, depois de uma vasta experiência em restaurantes da cidade, especializa-se na confecção de doces de chocolate artísticos

Sibele Negromonte
postado em 21/02/2021 08:00
 (crédito: Crys Silva/Divulgação)
(crédito: Crys Silva/Divulgação)

Thais Marega nunca foi fã de bonecas. Quando criança, a brincadeira preferida dela era preparar comidinhas imaginárias. “Fazia bolos de barro”, diverte-se. Desde aquele momento, parecia que o destino profissional da mato-grossense estava traçado. Aos 17 anos, quando terminou o ensino médio, deixou a pequeno município de Diamantino, a 200km de Cuiabá, rumo a Balneário Camburiú, em Santa Catarina. “Naquela época, só existiam faculdades de gastronomia lá ou em São Paulo. Como era muito nova e ia morar sozinha, achamos melhor eu ficar em uma cidade menor.”

Durante os quatro anos de curso de bacharelado, aprendeu não só técnicas da cozinha como também a gerir um negócio gastronômico. Em 2004, Thas teve o primeiro contato com Brasília. Passou 40 dias na capital para fazer o estágio obrigatório, no hotel Blue Tree. Mal sabia que os caminhos futuros sempre a trariam para cá.

Dois anos depois, com o diploma em mãos, voltou para a casa dos pais. Mas quis o destino que uns amigos de sua terra natal a apresentassem a um chef belga que, na época, atuava em Brasília. Ele recomendou Thais à proprietária da Sorbê, que tinha planos de abrir uma confeitaria especializada em frutos do cerrado. A jovem chegava, então, pela segunda vez à capital. “O projeto, porém, não deu certo. Cheguei a trabalhar em alguns restaurantes e hotéis daqui, mas estava me sentindo muito sozinha e decidi voltar para o Mato Grosso.”

A calmaria na casa dos pais, porém, durou apenas seis meses. E ela voltou a Brasília, cidade pela qual tinha se apaixonado. Thais soube que o renomado chef Felipe Bronze estava na capital fazendo a consultoria para a abertura do Restaurante Bottarga. “Fui lá, na cara dura, pedir um estágio a ele.” E conseguiu. Começou na praça de entradas e saladas, fazendo de tudo um pouco, até ser promovida a subchef da refinada casa.

Por lá ficou por dois anos, quando recebeu o convite da La Boulangerie do Lago Sul para atuar no serviço de atendimento ao cliente. “Ficava responsável também pelas refeições e sanduíches”, pontua. Mais um ano e meio de experiência até decidir que ia trabalhar para ela mesma. “Resgatei um antigo sonho de fazer doces finos de casamento e pedi a uma amiga da faculdade para passar um tempo na sua empresa, especializada no assunto, em Santa Catarina. Queria aprender na prática tudo sobre o negócio.”

Confeitaria

Depois da experiência no Sul e alguns cursos para se especializar na confeitaria, Thais voltou para Diamantino, onde montou seu negócio. Uma cidade tão pequena, porém, não comportava o tipo de serviço que ela oferecia. “Estava cansada de não ganhar dinheiro, de continuar morando na casa dos meus pais.” Assim, decidiu dar um tempo da gastronomia e fazer um pé-de-meia.

Mais uma vez, Brasília cruzou o seu caminho. Ela recebeu a proposta de ser representante de uma empresa de equipamentos de limpeza americana na capital. Até se deu bem com as vendas, mas o amor pelos doces falou mais alto. “Depois de um ano, meu irmão veio assumir o negócio e eu fiquei livre para voltar a cozinhar.”

A chef percebeu, porém, que precisava ganhar fama para conquistar os clientes. Afinal, dificilmente alguém confiaria os doces do próprio casamento a uma profissional desconhecida. Daí veio a ideia. O ano era 2014 e os food trucks tinham invadido a cidade. O custo-benefício de ter um caminhão não valia a pena para Thays, então, ela decidiu investir em uma food bike. “Criei a Browniecleta. Ia com a minha bicicleta vender brownie nos locais onde ocorriam os eventos de food truck.”

A Browniecleta se tornou uma espécie de vitrine para a confeiteira. “As pessoas conheciam o brownie e eu dizia que fazia outros doces. Elas faziam a degustação e fechavam as festas comigo”, detalha. Assim, ela foi produzindo bombons finos para casamentos, aniversários, batizados. E ganhando fama.

A food bike durou até 2017, quando a moda dos trucks passou. A chef, então, saiu da quitinete onde morava, foi para um apartamento maior, investiu em uma cozinha semi-industrial e começou a focar nos eventos e na distribuição de brownies para restaurantes.

Reinventando-se

Em 2019, Thais deu mais um importante passo na carreira. Fez um curso on-line de chocolates pintados, em uma escola de gastronomia da Bielo-Rússia, e se especializou na confecção de bombons que mais parecem joias. Mas aí veio a pandemia, os restaurantes fecharam, as festas foram adiadas e a mato-grossense precisou se reinventar. Passou a vender brownies e bolos no pote pelo iFood. “Meu irmão mora em um condomínio enorme, com sete prédios ,em Águas Claras. Levou meus produtos para vender lá e o sucesso foi imediato. Até me mudei para lá.”

Hoje, além de fornecer brownie e bolos no pote para os vizinhos ou sob encomenda, via WhatsApp, a chef criou um cardápio, na plataforma Goomer, com os seus bombons artísticos para pronta entrega. São 12 sabores que podem ser vendidos individualmente ou em caixinhas para presente. “Funciona também como uma espécie de vitrine, já que as festas começaram a voltar e as pessoas me procuram para fazer degustação.”

Nesse caso, explica, pode preparar bombons personalizados, de acordo com a história dos clientes. “Teve um casal que me falou de um quindim que marcou a relação deles. Desenvolvi um bombom com recheio do tradicional doce”, exemplifica. Thais também desenvolveu uma linha de pão de mel e, no próximo mês, pretende vender kits para pequenas festas, com minibolo e bombons.

Para o futuro, pretende abrir uma joalheira de doces para expôr – e vender – seus bombons artísticos. E, claro, em Brasília, cidade que a acolheu de braços abertos.

Brownie

Brownie
Brownie (foto: Arquivo pessoal)

Ingredientes

5 ovos
200g de açúcar
1 pitada de sal
150g de farinha de trigo
30g de cacau em pó
200g de chocolate meio amargo derretido
80g de manteiga derretida

Modo de fazer

Preaqueça o forno a 180ºC e forre uma assadeira grande com papel-manteiga. Em uma tigela, misture os ovos, o açúcar e o sal até homogeneizar. Adicione a farinha e o cacau e misture bem até obter uma massa espessa. Acrescente o chocolate e a manteiga derretidos. Misture bem. Despeje a massa na assadeira forrada e asse por cerca de 30 minutos. Sirva quentinho com uma bola de sorvete ou espere esfriar e embale os pedaços em plástico celofane.

Instagram: @chefthaismarega
WhatsApp: (61) 9 8140-3134

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE