Moda

Corset ganha releitura e conquista fashionistas

Símbolo de status na Era Vitoriana, a peça de época ganhou novo significado e passou a ser usada com texturas e modelagens diferentes para compor looks

Raquel Ribeiro*
postado em 02/05/2021 08:00
Gabriela Franze incorporou o corset no guarda-roupa e garante que continuará usando mesmo depois que passar a moda
 -  (crédito: Arquivo pessoal)
Gabriela Franze incorporou o corset no guarda-roupa e garante que continuará usando mesmo depois que passar a moda - (crédito: Arquivo pessoal)

O corset, peça marcante na história da moda feminina, voltou a fazer parte do guarda-roupa das fashionistas. Pelo seu caráter versátil, tem ganhado novas roupagens, ao ser utilizado com uma pegada mais moderna para compor looks. Juliette Freire, participante do BBB 21, por exemplo, apareceu no programa com uma camisa branca oversized acompanhada de um corset preto de couro.

Para a publicitária e influenciadora digital Gabriela Franze, 25 anos, as sobreposições não só trazem uma riqueza visual como ajudam a tornar a tendência atual. “Por ser diretora-criativa, sou apaixonada por uma construção visual rica de cores e texturas. Juliette usar o bustiê como sopreposição faz ficar muito em alta, porque o bustiê é a porta de entrada para o corset. Isso só fortaleceu essa tendência, que já vinha acontecendo na internet, além da estética camponesa, que já está bem forte”, comenta.

Gabriela se identifica com a tendência por aliar estilo vintage com o camponês, normalmente incorporadas por ela em ensaios fotográficos e no desenvolvimento de trabalhos artísticos compartilhados nas redes sociais. “É algo que vai continuar comigo, faz parte de uma estética que eu construo há muitos anos.”

Estética tradicional

Apesar de acreditar que o corset traz uma referência visual interessante e tem versatilidade, Gabriela alerta para os cuidados que devem ser tomados quando se opta pelo modelo tradicional. “O corset não é tão saudável, não faz tão bem, porque o objetivo é diminuir o tamanho das costelas flutuantes. Logo, é importante ter um acompanhamento de um ortopedista e fisioterapeuta e procurar profissionais de referência para garantir a preocupação com a anatomia na confecção do corset”, adverte.

Além disso, a publicitária considera que é necessário que, tanto quem usa quanto quem divulga a tendência, tenha consciência e busque informações. “Fico muito feliz de estar em alta porque torna mais acessível, mas, ao mesmo tempo, eu me preocupo, porque acaba que várias influenciadoras começam a fazer essa prática de modelar o corpo, muitas vezes, sem divulgar os cuidados necessários. É importante saber por que você quer, e não só seguir o fluxo da tendência”.

Ela acrescenta que conhecer o universo do corset é o primeiro passo para ressignificar a peça: “Ele tem uma simbologia de submissão, porque servia para padronizar os corpos e impor uma estética numa época em que as mulheres tinham zero autonomia para decidir o que vestir. Eu acredito que só sabendo do passado do corset conseguimos dar um novo significado a ele no presente”.

Origem e características

A principal inspiração do corset é o espartilho. Muitas vezes apontados como sinônimos, o item de vestimenta começou a ser utilizado, no período da Renascença, por baixo dos vestidos de época. “Ao contrário do que a maioria acredita, antigamente, os corsets não eram feitos para modificação corporal nem usados para afinar a cintura. Eles tinham uma estrutura resistente e, por isso, eram usados como peça de baixo, para sustentar os seios e as roupas, que na época eram muito pesadas”, explica Diva Zhadely, consultora de moda e estilo e idealizadora da marca Corsets Du Palirsir.

Segundo a especialista, a peça deixava a mulher com uma postura mais ereta e elegante, por isso se popularizou entre a nobreza, por volta do século 16, na França. “O corset tinha características que, na época, remetiam a status. Começou a ser usado pela rainha Catarina de Médici e suas damas da corte. Nota-se que, naquele período, eles não eram usados apenas por mulheres, mas por homens também, com o propósito de melhorar a postura”, destaca.

Com o passar do tempo, sofreu adaptações e se consolidou como uma tendência entre o público feminino, pela característica de modelar a cintura e valorizar o busto. Além de consultora de moda e estilo, Diva Zhadely é corsetmaker, isto é, especialista na confecção de corsets artesanais.

Para ela, a arte de fazer a peça envolve conhecimentos específicos e deve levar em consideração a anatomia de cada pessoa. “O corset é rígido e estruturado, características que tornam a peça única, resistente e duradoura. Além disso, na hora da confecção, ele é reduzido estrategicamente na cintura (altura das costelas flutuantes), respeitando a anatomia e o biótipo de cada pessoa”, diz.

Diva afirma que é importante diferenciar o corset de outras peças similares, como o corpete e a lingerie: “São peças de vestuário que apenas lembram visualmente um corset. Porém, não são feitos sob medida e não têm um padrão na produção”.

Cara moderna

Na moda, o momento de virada a favor do corset ocorreu com o desfile de grandes grifes. “Entre 2O17 e 2018, a Dolce & Gabbana chegou com força, não só com criações que lembram peças que remetiam a um corset, mas também em peças com mangas bufantes, veludo, ilhoses, muito volume e textura nos tecidos, remetendo muito à Era Vitoriana”, lembra Diva Zhadely.

A consultora de moda e estilo acredita que a tendência está sendo cada vez mais aceita no mercado fashion. “Pegou de vez. Vemos nas passarelas, vemos nas produções de séries, em artistas, famosos e blogueiras. Uma chuva nas redes sociais. Todos usando tops, corpetes entre outras peças inspiradas na moda do período Vitoriano e também com uma linguagem mais moderna, mantendo o estilo romântico e lúdico para atender à grande massa.”.

De acordo com ela, a possibilidade de adaptar o corset para atender a vários gostos, passando de um estilo mais clássico até um mais ousado, é o que conquista a maioria dos entusiastas de moda. “Um corset por cima de camisas ou chemise fica extremamente elegante e sofisticado. Sabendo dosar os elementos na hora de compor, ele pode ser usado até mesmo como look de trabalho. Tenho muitas clientes que usam por cima de looks esportivos. O corset modelo underbust, abaixo dos seios, é muito versátil e pode ser usado com quase tudo”.

Combinação diversa

A influencer digital de moda e lifestyle Janaina Narsa, 28, entrou na onda dos corsets há pouco tempo. Ela teve o primeiro contato com a peça durante a realização de um trabalho para a marca Carpe e, desde então, se apaixonou pela tendência. “O corset te deixa acinturada, valorizando o corpo, e te ajuda a passar uma imagem de empoderamento”, acredita.

Para Janaina, o fato de ele poder ser combinado com várias peças e usado em diferentes composições é o que mais a atrai. “O diferencial do corset é que você tem uma diversidade de formas de usar, tanto como sobreposição quanto sozinho. É uma peça que valoriza o look, deixa a composição mais rica. Tem como mesclar com jeans, com chemise, com camisa social, com vestido, há uma variedade de opções”.

Contudo, ela alerta que essa junção de roupas não pode ser aleatória, e que deve se basear em uma construção harmônica. “Se for um corset colorido ou com estampa, recomendo que sempre case com peças com cores que combinem. Um corset de oncinha fica legal com uma camisa off white ou bege, por exemplo. É sempre bom puxar as cores do corset para as roupas. A mistura de texturas também é legal se conversarem entre si”, ensina.

Como compor

Estilo clássico/romântico
Corset overbust (cobre os seios) e short ou calça de alfaiataria. Nos pés, mocassim. Brinco de pérola ou tiara de pérola. Apropriado para passeio de dia ou fim de tarde.

Estilo sensual/dramático
Corset underbust (abaixo dos seios) e saia midi com fenda, de preferência em tecidos com cores fortes, como preto, vermelho e roxo. Blusa transparente com top de renda por dentro, no mesmo tom ou da mesma cartela de cores, dando um efeito visual monocromático. Para completar: brincos de argolas e cabelo rabo de cavalo.

Estilo despojado
Uma dica para quem curte um look mais despojado é usar o corset pretinho básico. Mais simples, é ótimo para looks casuais, com jeans, t-shirt e tênis.

Fonte: Diva Zhadely, consultora de moda e estilo e idealizadora da marca Corsets Du Palirsir

*Estagiária sob a supervisão de Sibele Negromonte

  • Gabriela Franze incorporou o corset no guarda-roupa e garante que continuará usando mesmo depois que passar a moda
    Gabriela Franze incorporou o corset no guarda-roupa e garante que continuará usando mesmo depois que passar a moda Foto: Arquivo pessoal
  • Janaína Narsa aderiu à onda há pouco tempo, principalmente por causa da versatilidade da peça
    Janaína Narsa aderiu à onda há pouco tempo, principalmente por causa da versatilidade da peça Foto: Arquivo pessoal
  • Juliette Freire, do BBB 21, usou o corset sobre uma camisa oversized
    Juliette Freire, do BBB 21, usou o corset sobre uma camisa oversized Foto: Globo/Reprodução
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE