Beleza

Veja os diferentes tipos de fragrâncias e como são produzidas

Os perfumes são tão antigos quanto a história da humanidade. Saiba a importância dos cheiros para o bem-estar

Amanda Silva*
postado em 18/07/2021 11:00
Os perfumes são capazes de acionar memórias e emoções nos seres humanos que podem remeter ao bem estar. -  (crédito: O Boticário/Divulgação)
Os perfumes são capazes de acionar memórias e emoções nos seres humanos que podem remeter ao bem estar. - (crédito: O Boticário/Divulgação)

“Ainda tem seu perfume pela casa
Ainda tem você na sala
Porque meu coração dispara
Quando tem o seu cheiro dentro de um livro
Dentro da noite veloz...”

(Adriana Calcanhoto, em Vambora)

Ele está no ar, nas flores, nas frutas, no nosso cotidiano. Mas, principalmente, nas nossas melhores lembranças. Um cheiro pode nos levar a uma recordação de infância, a uma viagem, a momentos de alegria e a pessoas amadas. Os aromas nos transportam pelo tempo e para vários lugares.

Os perfumes são usados diariamente pelos seres humanos para dar cheiro, passar uma imagem de elegância e proporcionar bem-estar. Mas, antes de Cristo, nas regiões do Egito, da Mesopotâmia e da Grécia, os perfumes eram utilizados para, além de dar um aroma agradável, embalsamar cadáveres e como oferenda aos deuses.

O próprio nome, perfume, é uma palavra originada do latim perfumuun, que significa através da fumaça. Cesar Veiga, expert em perfumaria do grupo Boticário explica que os egípcios começaram a ideia de perfumação quando, ao queimarem ingredientes, liberavam essências perfumadas.

De acordo com Verônica Kato, perfumista da Natura há mais de 15 anos, os alquimistas trituravam e faziam simples ebulições porque não existiam as técnicas de destilação para extrair os cheiros. “O homem descobriu que, aquecendo os ingredientes como folhas, raízes e flores, o cheiro saia de uma forma muito mais intensa”, explica.

Para fazer o cheiro durar mais tempo, os profissionais da época misturavam os materiais com gorduras animais e vegetais, criando um unguento (uma pomada), que utilizavam no corpo e nos cabelos. César Veiga destaca que no formato de pomada era mais fácil de armazenar e transportar os perfumes.

Antigo X moderno

Nos séculos passados, quem criava os perfumes era o sacerdote. De acordo com Verônica Kato, a fragrância era algo religioso, usado de forma terapêutica e medicinal. O bem-estar entrava somente no momento de dar um cheiro agradável. A colônia também era muito utilizada para complementar a higiene — já que muitos povos evitavam o banho por crer que a água transmitia as doenças da época.

Na idade média, com a descoberta do álcool, a perfumaria passou a ser o que conhecemos nos dias de hoje: perfume com produção apurada, pesquisa, marketing, aromas combinados e história. “O perfume, antigamente, era mais artesanal e higiênico. Nos dias de hoje, é uma mistura de arte, ciência, técnicas e métodos para obter os ingredientes”, ressalta a perfumista da Natura.

Cesar Veiga explica que o processo de criação de um perfume, hoje, envolve muita tecnologia. Um exemplo disso, segundo o profissional, é o ecoálcool, que é feito a partir do bagaço da cana e outros resíduos de biomassa, que antes eram queimados ou descartados.

Criação das fragrâncias

Atualmente, o desenvolvimento de perfumes e fragrâncias é feito de acordo com o público-alvo. O expert em perfumaria, Cesar Veiga, explica que a primeira etapa é elaborar o briefing da fragrância, que é construído pela equipe de marketing e pelos avaliadores de aromas. É um documento que traz informações importantes como o perfil olfativo, a personalidade, o que queremos transmitir e qual o público-alvo.

Em seguida, o documento vai para as mãos dos perfumistas para iniciar a “tradução do desejo” em ideias olfativas. E, então, o produto passa por uma série de avaliações iniciais para testar sua qualidade e se está adequado ao briefing proposto. Depois, vem o retrabalho, onde são feitos ajustes e melhorias para que fique de acordo com a ideia inicial.

Cesar conta que após concluir essas etapas, vêm os testes de performance, a pesquisa com consumidores e os testes complementares. “Se tudo der certo, as etapas finais são: cadastro da fórmula e compra de insumos, produção da fragrância e distribuição”, afirma. “Nos dias de hoje e da forma como é produzido, o perfume carrega a intenção que se quer colocar dentro de uma fragrância. A perfumaria é um retrato do que acontece na sociedade”, analisa Cesar Veiga.

As fragrâncias são feitas com aromas naturais e sintéticos. A mistura é basicamente uma combinação de óleos essenciais, álcool e água que são classificados em famílias. De acordo com Verônica Kato , os aromas sintéticos, como o cheiro da água do mar, são feitos para causar bem-estar e não podem ser extraídos da natureza como o jasmim, rosas ou tomilho. “O cheiro da brisa, do vento, do movimento, a gente consegue combinar os cheiros sintéticos, não existe, mas a gente consegue sentir quando é colocado em uma composição”, relata.

Bem-estar

No momento em que sente o cheiro do perfume, os seres humanos sentem emoções. Quando um cheiro é exalado, ele vai até a parte interna superior do nariz e chega às células olfatórias. Elas reconhecem e assimilam o cheiro, e transmitem um sinal para o cérebro através de neurônios.

Um tempo depois, o corpo começa agir e acionar emoções e memórias. Por isso, é possível sentir bem com alguns cheiros e com outros, não. “Sabemos que a pandemia nos trouxe vários desafios. Um deles foi como lidar melhor com nossas emoções e sentimentos”, destaca César Veiga.

Caminhos olfativos

Cítricas — Este tipo de fragrância é viva, leve, refrescante e energética. Composta principalmente de notas cítricas, combinadas a ervas aromáticas.
Lavandas — São fragrâncias frescas, alegres e vibrantes. Geralmente combinam notas de flores de lavanda, lavandin, gerânios e musks. Transmitem a sensação de conforto e limpeza. É uma categoria de fragrância muito aceita no Brasil.
Florais — As fragrâncias florais são as mais importantes das famílias olfativas femininas. Elas transmitem feminilidade, delicadeza e são envolventes. Nelas predominam as notas florais como a rosa, jasmim, gardênia, madressilvas, violeta, entre outras.
Orientais (também conhecida como ambaradas) — As fragrâncias orientais possuem notas que fazem lembrar os odores do Oriente, como as resinas adocicadas, os bálsamos da Arábia, as especiarias da Índia, as notas como o âmbar, almíscar (musk) associados ao sândalo e à baunilha. Desta maneira, as fragrâncias orientais deixam um grande rastro. Transmitem mistério, exotismo e sensualidade.
Florientais — Combinam a beleza e a popularidade do bouquet floral com a sensualidade e a longa duração das fragrâncias orientais. Nesta família olfativa, predominam as notas florais combinadas com ingredientes como a baunilha, flor de laranjeira, canela e frutais suculentos como o damasco e o pêssego.
Chypres — As fragrâncias chypres são elegantes e sofisticadas. O chypre é uma combinação de flores e notas de madeiras como o patchouly, o metiver e musgos, podendo conter também notas de couro.
Amadeiradas — Famosas no universo da perfumaria masculina, as fragrâncias amadeiradas são únicas em seu caráter. Elas são consideradas clássicas, elegantes e sofisticadas. São confeccionadas com base em notas de madeiras nobres como sândalo e cedro, bem como vetivér e madeiras cremosas como cashmeran.
Fougère (também conhecidas como Aromáticas) — Uma sensação limpa, vibrante, natural e fresca. As fragrâncias aromáticas são sempre criadas com base em acordes de lavanda, sálvia e menta com um floral gerânio.

Perfume em fases

Na produção do produto, são utilizadas várias técnicas que possibilitam sensações:


Notas de cabeça: são as notas que dão a primeira impressão sobre o perfume. Apesar de terem pequena duração, no máximo 30 minutos, servem como a primeira impressão sobre a fragrância, são muito importantes no conjunto total. São percebidas nos primeiros minutos do perfume. São notas mais leves e que evaporam mais rápido.


Notas de corpo: são as mais importantes do perfume. Elas exalam a personalidade do perfume, ficam mais presentes e são mais perceptíveis por mais tempo. Após 30 minutos, é possível sentir a nota de corpo que dura até, no máximo, seis horas.


Notas de fundo: elas farão parte da fixação da fragrância na pele. Sua interação com a pele influencia muito na performance, por isso, muitas vezes,em algumas pessoas a fragrância não fixa bem, mas outras dizem que o mesmo perfume fixou perfeitamente por muitas horas na pele. São as últimas a evaporar, pois são compostas por notas mais densas, como resinas de madeira e notas de origem animal.

*Estagiária sob a supervisão de Taís Braga

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE