Bichos

Pais de pets? Sim, por que não?

Homenageamos os tutores que consideram os seus cães verdadeiros filhos de quatro patas

Iara Pereira*
postado em 08/08/2021 08:00 / atualizado em 27/08/2021 10:54
Ao lado marido, Robertt Zingaro é pai de nove cahorros -  (crédito: Arquivo pessoal)
Ao lado marido, Robertt Zingaro é pai de nove cahorros - (crédito: Arquivo pessoal)

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que o Brasil é o segundo país com maior quantidade de animais de estimação. São mais de 139 milhões de pets, ou seja, os brasileiros têm mais cães e gatos do que crianças em seus lares. E tem sido muito comum ver os bichinhos serem promovidos de melhores amigos a filhos com quatro patas. Rodeados de mimos, eles se tornaram uma opção para quem busca companhia em casa. Neste Dia dos Pais, homenageamos os tutores que celebram a data ao lado dos “filhos” adotados.

Quanto mais, melhor

 Romário Silva, pai de nove cachorros
Romário Silva, pai de nove cachorros (foto: Arquivo pessoal)

O primeiro cachorrinho que Robertt Zingaro e Romário Silva (foto) tiveram foi um presente mútuo do casal. Depois de Capitão, vieram mais dois, entre eles uma cachorrinha que, mais tarde, teve três filhotes. A partir daí, eles adicionaram alguns resgates e adoções e, hoje, os dois são pais de nove pets. Robertt conta que ama a experiência: “Ser pai de cachorro é muito bom, você consegue perceber que a gratidão deles é eterna. Eles sempre estão ali para você”.

Os donos da casa

Pai de pets: Raphaell Ilha
Pai de pets: Raphaell Ilha (foto: Bidiah Mariano/Divulgação)

O amor de Raphaell Ilha, 31 anos, pelos pets vem de família. Na casa da mãe, havia vários cachorros e gatos. Agora que o estudante de veterinária mora com a esposa, Danela Alipaz, ele tem quatro cachorros e um gatinho. Os bichinhos ditam a rotina da casa. “Nosso dia já começa com a cachorrinha menor acordando às seis da manhã para passear. Ela dorme na nossa cama, come nos mesmos horários que a gente e é superapegada. Até os cachorros maiores, que deveriam ficar do lado de fora guardando a casa, dormem na sala, embaixo da televisão.”

Pai e filho

 Luiz Felipe Fonseca: pai de pets
Luiz Felipe Fonseca: pai de pets (foto: Arquivo pessoal)

O hipnólogo e fisioterapeuta Luiz Felipe Fonseca, 36 anos, assumiu o posto de pai de pet quando começou a namorar com a agora esposa, Cristiana Moreira, que já tinha o Benty. Onze meses atrás, uma novidade chegou. Benty virou papai e, agora, a família ganhou mais um integrante. Luiz conta sobre a alegria de tê-los em suas vidas. “É um carinho tão grande. Às vezes, a gente tem um dia ruim ou estressante no trabalho e, só de chegar em casa e receber todo o amor deles, já melhora tudo”.

Parceira para todos os momentos

Pais de pet. Tulio Ferreira.
Pais de pet. Tulio Ferreira. (foto: Arquivo pessoal)

O propagandista vendedor Túlio Valeri, 29, e a esposa, Isabella Fonseca, adotaram a dachsund Eva em 2020, pouco antes do começo da pandemia. “A princípio, a gente sentiu alguma insegurança sobre ter um cachorrinho, mas o tempo mostrou que foi a melhor decisão que poderíamos ter tomado”, garante. Agora, já não conseguem imaginar uma rotina sem Eva, que é incluída até nos passeios e viagens do casal.

Ajudando a amadurecer

Pais de pet. Tulio Ferreira.
Pais de pet. Tulio Ferreira. (foto: Arquivo pessoal)

Jean Carlos, 20 anos, e a namorada, Luana Contaifer, adotaram o beagle Léo há quatro meses e, segundo ele, foi amor à primeira vista. O filhote cheio de energia trouxe uma alegria nova e muitos aprendizados: “É um privilégio. Mesmo sem falar nada, existe uma comunicação. Só de olhar para ele a gente já consegue perceber um dicionário inteiro de emoções. Ele mudou nossa vida e está nos ajudando a amadurecer”.

Parte da família

Paola Pereira atua como médica veterinária há 11 anos e afirma que é muito comum que os tutores desenvolvam essa proximidade com os pets ao sair do conforto da casa dos pais. Ao formarem uma nova família, transferem o sentimento de companheirismo, tratando os bichinhos como pequenas pessoas. Ela alerta, porém, para o risco de humanização dos pets. “O problema está só nessa humanização, não deixando eles serem, nem agirem, como suas espécies. Já vemos muitos cães, por exemplo, que não sabem brincar com outros cachorros, pois nunca mostraram isso a eles.”

Todo o mimo parece se refletir de forma positiva nos cuidados médicos. A veterinária Andressa Reis relata que, em seus 13 anos de experiência, percebe que os tutores que consideram seus pets como membros da família realmente levam os bichinhos com mais frequência ao consultório para realizar exames preventivos.

*Estagiária sob a supervisão de Sibele Negromonte

 

  •  Romário Silva, pai de nove cachorros
    Romário Silva, pai de nove cachorros Foto: Arquivo pessoal
  •  Luiz Felipe Fonseca: pai de pets
    Luiz Felipe Fonseca: pai de pets Foto: Arquivo pessoal
  • Pais de pet. Tulio Ferreira.
    Pais de pet. Tulio Ferreira. Foto: Arquivo pessoal
  • Pais de pet. Tulio Ferreira.
    Pais de pet. Tulio Ferreira. Foto: Arquivo pessoal
  • Pai de pets: Raphaell Ilha
    Pai de pets: Raphaell Ilha Foto: Bidiah Mariano/Divulgação
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE