Entenda a polêmica envolvendo Apple, Google e o jogo Fortnite

Game on-line multiplataforma foi removido das principais lojas de aplicativos para celular por violar políticas em transações financeiras dentro do app

Israel Medeiros*
Fernanda Strickland*
postado em 14/08/2020 22:11 / atualizado em 14/08/2020 22:11
 (foto: reprodução )
(foto: reprodução )

As gigantes de tecnologia Apple e Google retiraram o jogo Fortnite das lojas de aplicativos. A justificativa das empresas foi que o game estava violando suas políticas, ao promover uma mudança no sistema de compra de itens dentro do app. Em suma, as microtransações passaram a ser feitas independentemente das plataformas de aplicativos. Isso significa que tanto Apple quanto Google deixaram de receber uma fatia do dinheiro movimentado, o que representa cerca de 30% sobre cada transação efetuada.


Em um comunicado à imprensa, a empresa da maçã — que é fabricante do iPhone e dona da loja de aplicativos para o sistema iOS — alegou violação nos termos de uso. "A Epic habilitou um recurso em seu aplicativo que não foi revisado ou aprovado pela Apple, e eles o fizeram com a intenção expressa de violar as diretrizes da App Store em relação aos pagamentos no aplicativo que se aplicam a todos os desenvolvedores que vendem produtos ou serviços digitais", informou a companhia fundada por Steve Jobs e Steve Wozniak.


Depois do comunicado da Apple, a Epic Games se pronunciou, afirmando que a remoção de Fortnite é "mais um exemplo da Apple flexionando seu enorme poder a fim de impor restrições injustificadas e manter ilegalmente seu monopólio de 100% sobre o mercado de processamento de pagamentos no aplicativo iOS".


O marketing da empresa também fez uma paródia de um famoso comercial da Apple, intitulado 1984. O comercial, veiculado naquele ano fazia referência ao livro 1984, de George Orwell. A obra critica o totalitarismo e foi utilizada pela empresa da maçã para desafiar o monopólio da toda-poderosa (na época) IBM no mercado de computadores.


A Epic Games, por sua vez, utilizou exatamente a mesma ideia, só que o alvo foi a Apple. O curta-metragem animado pede liberdade ao jogo. "A Epic Games desafiou o monopólio da App Store. Em retaliação, a Apple está bloqueando o Fortnite de um bilhão de dispositivos. Junte-se à luta para impedir que 2020 se torne ‘1984’. #FreeFortnite", informa o video. 

Assista à paródia:


Confira agora o comercial original da Apple de 1984: 

Já a Google, dona da loja de aplicativos para o sistema operacional Android, também pausou a distribuição do game. Em nota, a empresa informou que tem políticas consistentes e justas, que foram violadas pelo aplicativo. Porém, a gigante sediada na Califórnia não descarta diálogos para trazer Fortnite de volta.


"O ecossistema aberto do Android permite que os desenvolvedores distribuam aplicativos por meio de várias lojas de aplicativos. Para os desenvolvedores de jogos que optam por usar a Play Store, temos políticas consistentes que são justas para os desenvolvedores e mantêm a loja segura para os usuários. Enquanto Fortnite continua disponível no Android, nós não podemos mais disponibilizá-lo na loja Google porque viola nossas políticas. No entanto, agradecemos a oportunidade de continuar nossas discussões com a Epic e trazer o Fortnite de volta ao Google Play", informou a nota.


A Epic Games entrou com um processo judicial contra ambas as companhias em uma corte na Califórnia e pede uma redução das taxas cobradas.


A febre Fortnite


Fortnite está disponível para várias plataformas, como computadores Windows, Mac, os videogames Xbox One, PlayStation 4 e Nintendo Switch, e ainda, dispositivos móveis com sistema Android (Google) ou iOS (Apple). De acordo com dados de maio deste ano, o número de jogadores passa de 350 milhões em todo o mundo.


Lançado em 2017, o game de tiro permite interações online em partidas e é considerado viciante por usuários. O sucesso foi potencializado pelo fenômeno dos streamers, que fazem transmissões online jogando em plataformas como o Twitch e o YouTube.


Apesar de ser gratuito para download, Fortnite disponibiliza compra de itens dentro do jogo. Apenas em 2017, ano de lançamento, os lucros da Epic Games ultrapassaram US$ 3 bilhões. Em 2019, foi apontado como o game grátis mais rentável do ano.


*Estagiários sob supervisão de Vicente Nunes

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação