SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Fim de trégua entre facções já deixou ao menos 31 mortos em todo país

Depois de violentos confrontos entre presos de Roraima e de Rondônia, e de rebeliões no Ceará, foi a vez de o Acre viver uma noite de assassinatos e de incêndios

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/10/2016 08:00 / atualizado em 22/10/2016 00:17

Natália Lambert , Fernando Rotta - Especial para o Correio

Reprodução/Internet
 

 

A guerra declarada entre duas das principais facções criminosas brasileiras, o Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Comando Vermelho (CV), se expande nos presídios do país, principalmente do Norte e do Nordeste. Depois de violentos confrontos entre presos que deixaram 18 mortos, alguns decapitados, no início da semana em duas penitenciárias de Roraima e de Rondônia, e de rebeliões no Ceará, foi a vez de o Acre viver uma noite de assassinatos e de incêndios. E, desta vez, o conflito ultrapassou os muros da prisão.

De acordo com informações da Polícia Militar do Acre, 13 mortes foram confirmadas até o início da noite de ontem. Quatro delas ocorridas em uma rebelião no presídio Francisco d'Oliveira Conde (FOC), e as outras em diferentes bairros de Rio Branco, todas envolvendo suspeitos de ligação com uma das duas facções. Duas cabeças foram encontradas. Além dos assassinatos, 19 pessoas ficaram feridas — entre elas, dois agentes penitenciários — e uma escola e uma casa foram incendiadas.

 

Leia mais notícias em Brasil

 

O estopim dos confrontos no estado se deu na noite da última terça-feira. Segundo a Secretaria de Segurança, um bando de criminosos de um dos grupos  armou uma emboscada contra presos ligados à facção rival do regime semiaberto,  que voltavam para dormir na cadeia. Houve tiroteio e quatro ficaram feridos. Desde então, execuções ocorreram em diversos bairros e, na quinta-feira, durante a entrega de marmitas, os presos tomaram conta de três pavilhões do presídio Francisco d'Oliveira Conde. Depois que o Batalhão de Operações Especiais entrou em ação no presídio, dois agentes penitenciários foram detidos suspeitos de fornecerem armas a detentos. O governador do Acre, Tião Viana (PT-AC), afirmou que o Ministério da Justiça liberará R$ 3 milhões para o combate à criminalidade.

A origem do conflito nos presídios brasileiros é o fim do trato de paz entre o PCC, facção criminosa que tem origem em São Paulo, na década de 1990, e o CV, grupo carioca organizado em 1979. De acordo com especialistas, um dos principais motivos do conflito é a disputa pela hegemonia no controle do tráfico de drogas no país. Em comunicados divulgados pelas duas facções para os seus membros, uma acusa a outra de ter iniciado a guerra. “Mandaram nossos irmãos se retirar na força e a nossa amizade entre CV e PCC já não é a mesma. Somos de paz, porém jamais fugiremos das guerras”, afirma o comunicado do Comando Vermelho. Já o Primeiro Comando da Capital rebate: “Para nós, sempre foi mais viável a paz, mas como nunca tivemos esse retorno por parte dos integrantes do CV, que sempre agiram de ousadia, nos desrespeitando e desafiando, acabamos chegando a esse embate, que gerou esse monte de morte.”

Pesquisa

De acordo com dados do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) de 2014, último disponível, o Brasil é o quarto país do mundo com maior população carcerária: 622 mil. Quase a metade, 40% do total, está em prisão provisória. A pesquisa também revelou que 61,6% dos presos são negros; 75% têm até o ensino fundamental completo; 55% têm entre 18 e 29 anos; 28% respondiam ou foram condenados pelo crime de tráfico de drogas, 25% por roubo, 13% por furto e 10% por  homicídio.

Procurado, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) afirmou que só se manifestará sobre os conflitos quando as equipes que foram aos estados verificar a situação retornarem.

 

Confira a íntegra das cartas da facções

Textos originais, sem modificações

 

Comando Vermelho

"INFORMATIVO

APÓS REUNIÃO DOS MEMBROS REPRESENTANTES DO CVRL DECIDIMOS ATRAVÉS DESSE INFORMATIVO TRANSPARECER PARA TODA FAMÍLIA CV BRASIL, BOLÍVIA, PERU, PARAGUAY, CHILE, VENEZUELA E COLÔMBIA EM FIM PARA TODOS SEM EXCEÇÃO OS ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS QUAIS TODOS SÃO CIENTES DE MOMENTOS MUITOS CONTURBADOS QUE ESTAMOS VIVENDO COM O PCC ONDE EM VÁRIAS PENITENCIÁRIAS O CRIME SE DIVIDIU PCC SE RETIROU COM AS PRÓPRIAS PERNAS DOS CONVÍVIOS ONDE NOS SOMOS PREDOMINANTES EM ALGUNS ESTADOS, PORÉM

NOS ESTADOS ONDE ELES O PCC SÃO PREDOMINANTES MANDARAM NOSSOS IRMÃOS SE RETIRAR NA FORÇA E A NOSSA AMIZADE ENTRE CV E PCC JÁ NÃO E A MESMA QUE TANTO AGENTE PRESERVOU E LUTOU PARA FAZER QUE PREVALECESSE O RESPEITO DE AMBAS AS PARTES QUE E VIA DE MÃO DUPLA VAI E VOLTA. SOMOS DE PAZ PORÉM JAMAIS FUGIREMOS DAS GUERRAS QUANDO SE DIZER NECESSÁRIA

E NÃO ACEITAREMOS DE FORMA NENHUM E NÃO DAREMOS O RESPEITO EM CIMA DO DESRESPEITO NÃO IREMOS ATACAR MUITO MENOS PROCURAR FERIR NINGUÉM NENHUM MEMBRO DO PCC MAIS SE VINHEREM NOS FERIR OU NOS ATACAREM AUTOMATICAMEMTE IREMOS NOS DEFENDER. QUEREMOS DEIXAR CLARO A TODA FAMÍLIA CVRL QUE O PCC NÃO SÃO NOSSOS INIMIGOS PORÉM ESTÃO SE ALIANDO CORRENDO LADO A LADO COM FACÇÕES OPOSIÇÃO SENDO ELAS B-40 BONDE DOS 40 MARANHÃO E AMIGO DOS AMIGOS A.D.A DO RIO DE JANEIRO.
O CV NÃO DESVIARÁ JAMAIS O CAMINHO DE LUTA QUE NOS LIBERTARA PARA SEMPRE DOS INSTRUMENTOS EM SEQUELAS DO AUTORISMO QUE ASSOLA NOSSA NAÇÃO EM QUANTO EXISTIR OPRESSÃO ESTAREMOS SENSO CRUÉIS INIQUICINPEDOSOS PORÉM JUNTAMOS JUNTOS NOS PROTEJA PARA IMPOSIÇÕES ARBITRARIAS DA INFURIA E DA PREPOTÊNCIA ATRAVÉS DA BATALHA PELO SEDIO E O VERDADEIRO DE PROGRESSO SEGUIREMOS A FRENTE,OTIMISTA ACREDITANDO QUE AINDA EM VIDA OU A MENOS NAS PRÓXIMAS GERAÇÕES O OBJETIVO DO CV QUE E PROGRESSO SERÁ LANÇADO E SERÁ ALCANÇADO PRIORIZANDO A ÉTICA DO CRIME.

OBS: INTUITO DO INFORMATIVO E DEIXAR TODA FAMÍLIA CVRL CIENTE DO QUE VEM OCORRENDO EM TEMPO REAL NO BRASIL E OUTROS PAÍSES

ASS: REPRESENTANTES DO CVRL SINTONIA FINAL DOS ESTADOS E PAÍSES"

 

Primeiro Comando da Capital

"Comunicado Geral[*]

A sintonia do Primeiro Comando da Capital vem por meio deste passar com total transparência a toda massa carcerária e todas facções amigas o motivo que levol o tal ocorrido no Estado de Roraima.

A cerca de três (3) anos buscamos um dialogo com a liderança do c.v nos estados, sempre visando a Paz e a União do Crime no Brasil e o que recebemos em troca, foi irmão nosso esfaqueado e Rondonia e nada ocorreu, ato de talaricagem por parte de um integrante do cvrr e nenhum retorno, pai de um irmão nosso morto no Maranhão e nem uma manifestação da liderança do cv em prol a resolver tais fatos.

Como se não bastasse, se aliaram a inimigos nossos que agiram de tal covardia como o PGC que matou uma cunhada e sua prima por ser parentes de PCC, matarão 1 menina de 14 anos só por que fecahava com nós.

A mesma aliança se estendeu pra facção Sindicato RN que num gesto de querer mostrar força matarão uma senhora evangélica e tetraplégica uma criança sobrinho de um irmão nosso e seu irmão de sangue numa chacina covarde no Rio Grande do Norte pra afetar o integrante do PCC,
Agora chegaram ao extremo de Andarem armados de facas em pátios de visita no Acre e no estado de Roraima. Acreditamos que o crime do paiz não é cego e consegue enxergar com clareza o que realmente é desrespeito com familiares e quem deu ponta pé inicial pra essa guerra sangrenta que se iniciou.

Pra nos do PCC  sempre foi mais viável a Paz, mais como nunca tivemos esse retorno por parte dos integrantes do c.v que sempre agiram de ousadia nos desrespeitando e desafiando, acabamos chegando a esse embate, que gerou esse monte de morte"

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Júlio
Júlio - 23 de Outubro às 22:44
Isso mostra a total falência do Estado Brasileiro, pois enquanto a sociedade é refém do crime, da inflação, do desemprego, políticos abutres chafurdam na lama da corrupção. E ainda tem gente que fica com peninha de Eduardo Cunha e de outros políticos que, graças a eles, o Brasil só se afunda. Pena eu tenho é da sociedade de bem.

publicidade