SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Jovem justifica as ocupações nas escolas e vídeo viraliza nas redes

Em um dos momentos mais tensos do discurso, a estudante acusou os deputados de estarem com "as mãos sujas de sangue" por conta do assassinato de Lucas Mota

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/10/2016 18:40 / atualizado em 27/10/2016 18:52

Correio Braziliense

Uma adolescente do ensino médio subiu à tribuna da Assembleia Legislativa do Paraná para justificar as ocupações nas escolas públicas do país e atacar o Projeto de Emenda Constitucial 241, que impõe um limite nos gastos públicos, inclusive com a educação. A estudante Ana Júlia, 16 anos, discursou, com a voz embargada, por 10 minutos, arrancando aplausos da plateia e protesto por parte de alguns dos deputados. A fala da jovem emocionou os internautas e o vídeo viralizou nas redes. Até o início da noite desta quinta-feira (27/10), a gravação já contava com mais de 500 mil visualizações.

 "A nossa única bandeira é a educação. Somos um movimento apartidário, dos estudantes pelos estudantes”, disse Ana, emocionada ao defender as mais de 100 escolas ocupadas no país. "[Os governantes] querem criar um exército de não pensantes. E a gente não pode simplesmente deixar isso acontecer", completou.

Leia mais notícias em Brasil


Em um dos momentos mais tensos de seu discurso, a estudante acusou os deputados de estarem com "as mãos sujas de sangue" por conta do assassinato de Lucas Mota – que morreu dentro da escola, por um colega. O presidente da sessão, Ademar Traiano (PSDB), a repreendeu dizendo que ela só poderia falar na tribuna se não ofendesse nenhum parlamentar. "Mas o Estatuto da Criança e do Adolescente nos diz que a responsabilidade pelos adolescentes é da sociedade e da família e do Estado", rebateu Ana.

Veja o vídeo:

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Carlos
Carlos - 28 de Outubro às 08:13
Citar a familia, o Estado e a sociedade como responsavéis pelos adolescentes é fácil.Só que .quando o jovem morreu dentro da escola, estes mesmos adolescentes proibiram a atuação destes que, em tese ,seriam seus responsavéis.

publicidade