SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Chapecoense pretende colocar os sobreviventes no mesmo hospital em Medellín

Diretor médico do clube elogia tratamento médico dado aos feridos da tragédia que matou 71 pessoas na Colômbia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/12/2016 07:50

Luis Acosta/AFP - 29/11/16

O diretor médico da Chapecoense, Carlos Mendonça, disse ontem em Medellín que pretende reunir no mesmo hospital os quatro sobreviventes brasileiros do acidente aéreo de segunda-feira com a delegação do clube. Estão internados, em estado crítico, o zagueiro Neto, o lateral-esquerdo Alan Ruschel, o goleiro Follmann e o jornalista Rafael Henzel, que cobriria a final da Copa Sul-Americana.

 

“Vamos juntar todos os pacientes em um local só para a logística médica e familiar ficar melhor. Só temos a agradecer ao povo da Colômbia pelo carinho. Todos os sobreviventes estão sendo muito bem tratados”, afirmou o diretor.

 

 

Neto e Henzel estão em La Ceja, cidade mais próxima do local da queda, em Cerro El Gordo. O hospital fica a cerca de 1h30 de Medellín. O defensor foi o último a ser resgatado após a queda da aeronave. Já o jornalista apresenta um trauma torácico e uma fratura na perna. Ele tem mostrado uma recuperação satisfatória, já está consciente e sua esposa chegou para acompanhá-lo.

 

Em outra cidade próxima a Medellín, Rionegro, está internado na clínica Somer o lateral Alan Ruschel, em estado crítico, mas estável. Ele foi operado na terça-feira por conta de uma fratura na coluna. 

 

O hospital San Vicente, em Medellín, é onde está o goleiro Follmann. O jogador é quem apresenta o quadro mais grave. Ontem, ele foi submetido a nova cirurgia na perna direita, que foi parcialmente amputada. Os médicos, porém, descartaram a necessidade de amputar também o pé esquerdo. Também ontem, os familiares dos sobreviventes começaram a chegar à cidade.

 

Já os tripulantes bolivianos Jimena Suárez e Erwin Tumiri apresentam bom estado de saúde e, dependendo da avaliação que será realizada por médicos da Colômbia e da Bolívia, terão alta até amanhã. O presidente da Comissão Nacional de Médicos do Futebol da CBF, Jorge Pagura, está em Medellín para acompanhar a recuperação dos sobreviventes.  

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade