SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Vídeo: pastora quebra imagens de santa e causa revolta nas redes sociais

A mulher aparece destruindo as miniaturas a marretadas, enquanto outros fieis fazem uma oração

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/01/2017 17:52 / atualizado em 11/01/2017 18:10

 

 

Um vídeo de um ritual de uma igreja evangélica de Botucatu, no interior de São Paulo, causou repercussão e gerou polêmica nas redes sociais na terça-feira (10/1). As imagens mostram uma mulher, que seria uma pastora de uma das igrejas da cidade, quebrando a marretadas imagens de Nossa Senhora Aparecida.

 

Leia mais notícias em Brasil

 

Enquanto as estátuas são destruídas, obreiros, como são conhecidos os membros da igreja, fazem uma oração. "Oh, glória. Não aceito outro Deus. Aleluia, Jesus. Teu nome seja glorificado, Senhor. Abençoa, Senhor, meu Pai, que foi feita pelas mãos do inimigo. Seu nome será honrado e glorificado. Está quebrada, em nome de Jesus", dizem os obreiros.

Em nota, o Conselho Municipal de Pastores de Botucatu repudiu o ato, disse não apoiar uma "prática de intolerância religiosa" e pediu perdão aos "irmãos e irmãs católicos que se sentiram ofendidos com o vídeo de uma prática isolada".

Leia a nota oficial na íntegra:

“Venho por meio desta nota afirmar que o Conselho de Pastores de Botucatu não esteve envolvido e nem apóia uma prática de intolerância religiosa. Fazendo dessa nota um pedido de perdão aos nossos irmãos e amigos católicos que se sentiram ofendidos com o vídeo de uma prática isolada que está circulando nas redes sociais. Seguimos em pregar as boas novas de Jesus Cristo, o Salvador, de acordo com as sagradas escrituras preservando, acima de tudo, o amor e respeito ao próximo. Sem mais, missionário Paulo Cruz, secretário do Conselho de Pastores de Botucatu”.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Carlos
Carlos - 14 de Janeiro às 21:54
Essa idiota deveria era ser presa, porque uma pessoa que não respeita a religião católica, precisa se atualizar e o local ideal para essa pessoa é a prisão. Att. Carlos Wanderley Soares Greijal Católico e devoto de Nossa Senhora de Aparecida
 
Roberto
Roberto - 14 de Janeiro às 20:40
Bem.........em um passado não muito distante os adoradores dessas imagens queimavam pessoas VIVAS nos tribunais da Inquisição.......
 
BRUNO
BRUNO - 12 de Janeiro às 14:44
Ridículas não respeitam a crença dos outros como querem ser respeitadas, cada um tem sua forma de expressar sua fé porém não precisa ferir a fé dos outros por isso que existe a guerra santa uma fé querendo engolir a outra .
 
marcos
marcos - 12 de Janeiro às 13:20
Tem maluco pra tudo nesta vida. Tudo possuído pelo chifrudo.
 
Flávia
Flávia - 12 de Janeiro às 10:47
Oh raça! Ai depois andam com a biblia debaixo do braço aclamando o nome do senhor
 
Rafael
Rafael - 11 de Janeiro às 22:07
Eu sou cristão evangélico e repudio totalmente a ação desta mulher. Sei que serei criticado por falar isso. Mas Jesus não veio pregar o ódio contra o próximo, não é dessa maneira que as pessoas vão conhecer a Jesus, é justamente o contrário, é amando, é tolerando, é mostrando no dia a dia. Os verdadeiros cristãos não têm essa atitude lamentável.