SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Presidente da Funai tem queda de pressão durante negociação com lideranças

Segundo a assessoria de imprensa, ele teve uma queda de pressão, mas se recuperou e voltou a trabalhar normalmente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/04/2017 16:40 / atualizado em 27/04/2017 19:18

Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press


Ao contrário do informado anteriormente, o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Antônio Costa, não teve uma suspeita de infarte.
No início da tarde desta quinta-feira (27/4), ele passou mal enquanto negociava com lideranças indígenas acampadas na Esplanada e o Ministério da Justiça.
 
Segundo a assessoria de imprensa, ele teve uma queda de pressão, mas se recuperou e voltou a trabalhar normalmente.

Resistência 

 
O presidente da Funai tem enfrentado grande resistência dentro do governo por ter se negado a nomear integrantes do PSC em coordenações de áreas técnicas. Costa chegou a afirmar que seria demitido nesta semana tendo feito, inclusive, uma reunião com os funcionários do órgão para se despedir. Entretanto, a demissão de Costa ainda não foi oficializada no Diário Oficial.

Em entrevista ao Correio, Costa destacou que, quando assumiu o cargo lhe foi assegurado que teria a liberdade de nomear apenas especialistas para as coordenadorias regionais e assessorias da Funai. Porém, o líder do governo na Câmara, André Moura (PSC-SE), e o ministro da Justiça, Osmar Serraglio, deputado federal licenciado (PMDB-PR), a quem a Funai está subordinada, estariam exigindo a nomeação de políticos para cargos técnicos. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.