SIGA O
Correio Braziliense

Presidente da Liga de escolas de samba promete apurar vazamento de notas

Uma fotografia com o suposto mapa de notas revelava a pontuação de seis escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/02/2016 12:38 / atualizado em 09/02/2016 15:15

O presidente da Liga Especial das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Castanheiras, considerou hoje (9) como de mau gosto a divulgação da fotografia de um mapa de notas da Liesa. O documento supostamente revela a pontuação dada para seis escolas de samba do Grupo Especial, que disputam o título de campeã do carnaval carioca. A imagem foi reproduzida nas redes sociais.

De acordo com Castanheira, o fato de a imagem ter sido divulgada não significa que seja um vazamento das notas de jurado para quesito Mestre Sala e Porta-Bandeira. Ele acredita que alguma pessoa pode ter baixado na página da Liesa o mapa e ter feito uma brincadeira. O documento está disponível ao público entre os arquivos que tratam da atuação dos jurados na avenida.

“Eu acredito que foi uma brincadeira de mau gosto que foi feita com o material que temos na internet, no Manual do Julgador. Creio que alguém pregou essa peça com o trabalho sério que estamos fazendo”, disse o presidente da Liesa à Agência Brasil.

Para que não reste dúvida sobre a autenticidade do documento, ele prometeu investigar e comparar, por exemplo, a caligrafia da fotografia e a pontuação dada pelos jurados. Se a imagem for considerada verdadeira, Castanheira afirma que serão anuladas.

As notas que teriam sido vazadas são das escolas Estácio, Ilha, Beija-Flor e Grande Rio, que desfilaram no domingo (7) na Marquês de Sapucaí, no centro.

A polêmica começou depois de o jurado de bateria Fabiano Rocha ter deixado o Sambódromo antes mesmo do início do desfile oficial naquele dia, segundo a imprensa.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.