Conheça o paraíso latino dos esportes de inverno

Bariloche é o lugar ideal para treinar esqui e snowboard durante as férias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/10/2017 18:04 / atualizado em 13/10/2017 10:26

 

O Brasil é um território amplo, com variados tipos de terrenos e climas, propícios para praticamente todo tipo de esporte. A única coisa que fica faltando é o inverno, que nunca chega por aqui. Apesar da ausência de um período de neve, tem uma cordilheira nos países vizinhos tão perto que faz parecer uma viagem nacional. Um dos destinos mais famosos da cadeia de montanhas é a capital dos esportes de neve na Argentina: Bariloche. O lugar tem uma série de paisagens incríveis como o parque nacional Nahuel Huapi, a Playa Bonita, o Lago Gutierrez, o Lago Jakob, o Cerro Tronador e o Cerro Campanário. Mas a verdadeira atração da cidade é o Cerro Catedral.

 

A montanha possui a maior estação de esqui da América Latina e uma das 10 melhores do mundo, com a base há 900 metros de altitude e quase 80 anos de existência, com experiência em esportes de inverno, infraestrutura e prestação de serviços para mais de 600 mil visitantes por temporada. Ela conta com pistas certificadas, bares, cafés, pubs, restaurantes, tanto de comida típica quanto internacional, e até mesmo um shopping. Tem também um parque para crianças (incluído no passe de esqui até 11 anos), brinquedoteca com berçário para crianças de até 3 anos, espaço VIP (com café, TV, área de leitura, internet, eventos especiais, espaços de relaxamento, assessoria turística e acesso privilegiado às pistas) para convidados e compradores do pacote exclusivo e parque de primeiros contatos para aprender os esportes sem precisar subir até o topo da montanha.

 

Lá, podem ser realizados três tipos de tour: o histórico, que mostra as origens do primeiro meio de elevação projetada ali; o de aventura, que é uma trilha até o cume da montanha para desfrutar da vista panorâmica; e o tour da natureza, um passeio pelo bosque, com atividades diversas de contato com o ambiente. Há também uma modalidade de tour autoguiado em snowboard, indicada para os níveis intermediário e avançado. A proposta é desfrutar a montanha de norte a sul, subindo por dois dos caminhos de elevação centrais até o ponto mais alto e passando por 10 pistas diferentes. Ao chegar na base, há a possibilidade de descansar, desfrutar da paisagem, tirar fotos e degustar pratos da região patagônica.  

 

 

Dentre os esportes oferecidos pela estação, há passeio de boia e de trenó pelas dunas de neve; travessias de esqui pelo bosque; aluguel de Snow BMX (parece um patinete) e Snow Scoot (parece uma bicicleta) para se divertir de forma estável e segura nos morrinhos de neve; pista de esqui nórdico, uma modalidade mais fácil do esporte, que não possui o calcanhar da bota grudado nos esquis e é praticada em níveis mais planos; e passeios de moto para neve pelo bosque, acompanhados de guia local. Tudo isso, claro, sem contar as práticas tradicionais de esqui e snowboard. Há aulas para todas as idades de todas as modalidades citadas acima.

 

Por fim, há um espaço chamado Terrain Park, cheio de corrimãos, rampas e obstáculos de manobra, voltado para os visitantes mais radicais. Ele é dividido em quatro zonas de dificuldade sinalizadas por cor: principiante (verde) com caixotes confortáveis e seguros para quem quer começar as práticas de freestyle; nível intermediário (azul) que combina caixotes, raias e saltos de média amplitude; nível avançado (vermelho) com raias combinadas, saltos progressivos e obstáculos; e nível expert (preto) com saltos de grande amplitude. 

 

 

A estação possui um centro de assistência média e primeiros socorros, com enfermaria, raio x e ambulância, e capacidade para atender desde simples consultas clínicas até problemas traumatológicos. No entanto, é sempre bom seguir as normas de segurança: não tomar atitudes que possam prejudicar as outras pessoas, ultrapassar sempre com distância suficiente para que o ultrapassado possa se movimentar livremente, evitar lugares estreitos e sem visibilidade, caminhar a pé apenas na borda das pistas, respeitar a sinalização e, em caso de acidente, avisar a patrulha. Essa é uma equipe de mais ou menos 40 pessoas, que verificam as pistas diariamente, preparam a sinalização e atendem a todo tipo de acidente e incidente.  Os patrulheiros são facilmente reconhecidos pelo uniforme preto e roxo com uma cruz branca, e usam sistemas de chip no material alugado para identificar e achar corpos na neve.

 

Para chegar no Cerro, basta pegar um ônibus da linha Catedral no terminal do centro da cidade. As saídas ocorrem todos os dias de uma em uma hora. Mas além de curtir a montanha em toda a sua extensão, Bariloche também tem uma série de passeios curtos pela paisagem da região, que podem ser aproveitados durante outras épocas do ano, como o verão, significativamente mais quentes e mais propícias à prática de canoagem, caiaque, windsurfe e escalada, além de oferecerem a calma e o silêncio da baixa temporada. Os pacotes incluem: Viagem de um dia para o Cerro Tronador (R$ 370), passeio de um dia em San Martín de los Andes e Sete Lagos (R$470), cruzeiro turístico pelo Lago Nahuel Huapi com Ilha Victoria e Floresta de Arrayán (R$370), cruzeiro turístico com caminhada até as cachoeiras de Puerto Blest (R$ 370), travessia dos Lagos Andinos da Argentina para o Chile de ônibus e barco (R$ 880) e viagem de um dia para El Bolson (R$ 370). Fazer o Circuito Chico, um city tuor para ver os principais pontos turísticos da cidade, também é uma boa pedida se a programação estiver apertada. Uma pena que não há variação de preços das atividades ao longo do ano, apenas para aluguel de equipamento de snowboard e esqui. 

 

 

Uma dica importante é fazer as reservas dos seus passeios com antecedência, pois a demanda de turistas costuma ser bem alta e é um trabalho desnecessário procurar agências de turismo ao chegar na cidade, uma vez que elas são superacessíveis pela internet. Sem contar que a grande maioria das programações são longas caminhadas afastadas da cidade, então é necessário ter um guia local presente, para evitar acidentes e pessoas perdidas. Aproveite que vai agendar os passeios e já ligue para o seu clube de turismo, que ele cuida das passagens e hospedagens com melhor custo-benefício para você e seus acompanhantes. E se ficou curioso para conhecer outros lugares incríveis que valem a pena ser visitados, acesse aqui e descubra qual é a opção que mais se parece com você! 

 

Serviço:

Edificio Telesilla Séxtuple, 1er. Piso

Base Cerro Catedral

Casilla de Correo 1630

(8400) San Carlos de Bariloche

Provincia de Río Negro

Argentina

Telefone: +54 294 4409000

E-mail: info@catedralaltapatagonia.com 

Web: www.catedralaltapatagonia.com  

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante

Bancorbrás