cidades df

Sentimento doentio de posse domina os agressores de mulheres

Helena Mader

Publicação: 05/10/2011 06:34 Atualização:

Sentimento de posse, ciúme doentio e machismo. As causas que levam um homem a agredir a companheira são recorrentes na maioria dos crimes ditos passionais. Na última sexta-feira, o professor de direito Rendrik Vieira Rodrigues, 35 anos, matou com três tiros a estudante Suênia Sousa de Farias, 24, com quem teve um breve relacionamento. Os relatos da família da vítima mostram que o assassino não aceitava o fim do relacionamento e perseguia a jovem. Para especialistas, a visão da mulher como objeto e como propriedade, e a intolerância à frustração são fatores que motivam homens violentos a matar supostamente por amor.

No caso de Suênia, Rendrik agiu com frieza e premeditou o crime. Mas há relatos de agressões que ocorrem no calor de discussões ou que não poupam sequer os filhos do casal — como a morte de Lilian Maria, 32 anos, assassinada pelo locutor de rádio Raimundo Benício, 51, no Gama. Os disparos foram feitos na presença de uma adolescente, filha deles, no mês passado.

A professora do Departamento de Psicologia Social da Universidade de São Paulo (USP), Sueli Damergian, conta que o assassinato de Suênia virou tema de debate em uma das aulas da pós-graduação. “Uma aluna de Brasília levantou a discussão. Vejo casos cada vez mais recorrentes, mas quem ama não mata. Não considero que isso seja amor, só pode ser classificado como desejo de posse. Esses crimes são motivados por um sentimento de arrogância de pessoas que não aceitam serem frustradas”, comenta.

Sueli classifica os crimes passionais como um “comportamento da idade da pedra” e afirma que os casos também são motivados por uma questão cultural, já que a sociedade ainda vê o homem como “conquistador”. “Em relacionamentos destrutivos e com pouca afetividade, em que muitas vezes as pessoas se ligam pelo sexo, os homens não podem ser feridos. Eles fazem de tudo para manter o mito do homem conquistador. Na visão deles, somente quem conquista poderia romper com o relacionamento”, explica a professora da USP. “Mas essa é uma visão equivocada. Antes de mais nada, o amor implica cuidar, preservar, procurar dar o melhor para o outro”, finaliza Sueli.

A morte da estudante de direito do UniCeub fez a sociedade lembrar de outros casos bárbaros, que tiveram grande repercussão. A professora de psicologia da Universidade Católica de Brasília e pesquisadora do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) na área de violência contra mulheres Flávia Timm cita uma agressão covarde cometida por um bombeiro, como exemplo do sentimento de posse que leva ao crime. Em 2009, Kleber da Silva Nascimento, 38 anos, esfaqueou e perfurou os olhos da companheira, que sobreviveu. “A sociedade machista constrói uma cultura em que o homem é dominador e acaba refém dessa posição. Para essas pessoas, o fim de um relacionamento poderia ser rotulado como um fracasso pessoal”, afirma a psicóloga.

Flávia afirma que, para a maioria das mulheres, o fim de um relacionamento não representa um motivo de desespero extremo. “Aquelas que são abandonadas sofrem, mas acabam procurando outro amor. Mas alguns homens têm um sentimento de dominação e não aceitam essa situação de abandono. Para eles, amar é dominar, e ciúme infundado será sempre motivo de brigas constantes”, acrescenta a especialista.

Agressores
Homens que agridem as companheiras por ciúmes não podem ser diagnosticados como portadores de transtornos psiquiátricos. Na maioria dos casos, são pessoas produtivas, classificadas como normais por colegas de trabalho e vizinhos. O psicólogo Luiz Henrique Aguiar trabalha como supervisor clínico de equipes que atendem vítimas e agressores na Secretaria da Mulher do GDF. Em 2009, ele fez uma dissertação de mestrado com base nos depoimentos de autores de violência doméstica.

Ele conta que não existe um perfil bem definido dos agressores. “Eles estão em todas as classes sociais. Muitos dos crimes e dos casos de violência doméstica estão relacionados a uma questão cultural, em que o homem tem sentimento de posse. A frase mais recorrente que ouvimos é ‘se ela não for minha, não será de mais ninguém’. Isso é consequência de uma falta de habilidade emocional”, explica Luiz Henrique.

A professora do Departamento de Psicologia Clínica da Universidade de Brasília (UnB) Gláucia Ribeiro conta que o sentimento de propriedade com relação à mulher leva muitos homens a agir com violência. “Mas ciúme, controle e sentimento de posse não são amor. É algo doentio, que surge da necessidade de ter domínio sobre o outro”, comenta Gláucia.

Esta matéria tem: (28) comentários

Autor: Vanessa lopes
É isso msm..Por um brasil,de homens e mulheres mais inteligentes,não somente no sentido academico,mais que tenha mais disceernimento de sentimento,e evitem essas trágedias!!! | Denuncie |

Autor: WANDERLEY ALMEIDA
associam dominação a virilidade, prova de amor, o cara q é bacana, companheiro, compreenssível, é taxado de frouxo, bicha, não tem pegada, tenho várias amigas q pensam assim. só se dão conta quando o negócio tá feio, é tarde. temos q mudar tanto homens quanto mulheres. | Denuncie |

Autor: PLINIO MARNHÃO
VEJAM, ELE TEM QUE SER PUNIDO COM RIGOR, MAS DENTRO DA LEI VIGENTE...mas, a menina, que Deus a tenha, jamais poderia sair com ele no carro, já que ele vinha ameaçando de morte. Depois, teria ela que denunciá-lo, o juiz poderia arbitrar uma distância mínima entre ela e ele. | Denuncie |

Autor: WANDERLEY ALMEIDA
ou seja, não se pode falar q se trata de machismo, mas um distúrbio q acomete homens e mulheres, q se acham proprietários dos outros, depois as mulheres têm parcela de culpa, pois se desvalorizam, não todas, se vendendo como objeto sexual, também culturamente, embora reclamem desse tipo de cara... | Denuncie |

Autor: WANDERLEY ALMEIDA
muita boa a reportagem, mas parcial, pois há também mulheres assim, inclusive está crescendo o nº de mulheres "machistas", dominadoras e arrrogantes, elas matam menos, é verdade, mas agridem, insultam, ameaçam, quebram seu carro, brigam se vc conversa com os amigos, se recebe um telefoma... | Denuncie |

Autor: SALOMÃO FEITOSA
A poucosdias atrás ele era um professor tão bem qualificado!!! | Denuncie |

Autor: PLINIO MARNHÃO
PODE CHIAR, ESPERNEAR...não adianta, desde do começo dos tempos é assim, o homem evoluiu tecnologicamente, mas não seus instintos (uma herança genérica/ comprovada cientificamente). Podem elaborar a lei que for, não mudará. Isso aconteceu, acontece e acontecerá | Denuncie |

Autor: bueno oliveira
O que mais tem no mundo é mulher. Não deu certo, parte para outra. | Denuncie |

Autor: sandra silva
Esse crápula era um doente farsante na sociedade merece uma surra de presos e muitos anos de cadeia tem que aprender a renascer das cinzas | Denuncie |

Autor: Ana Rosa
Seria interessante pesquisar qual é o perfil de mulheres que se relacionam com homens desse tipo sim. Dia desses, eu ouvi de uma mulher, madura por sinal, que gosta mesmo é de homem machista, durão, ignorante, que não gosta de homem educado demais, que para ela esse tipo é frouxo. Vai entender! | Denuncie |

Autor: Fábio Santos
Um grande fator que contribui para isso é a criação dos filhos! Filhos que tudo quer e o pai dá e quando cresce sofre uma frustração não sabe reagir de outra forma - a posse de qualquer jeito! | Denuncie |

Autor: Jessica Lago
NADA justifica. Cada um tem o direito de viver, com quem quiser. É inaceitável isso. | Denuncie |

Autor: Bruna S.
(...)que são cometidos por sentimento de posse e de objetificação do outro, produtos da nossa cultura que ainda coloca o homem como superior e até detentor do corpo e da vida das mulheres. Seria ótimo se, nas reportagens desses casos, o Correio sempre trouxesse a questão do machismo para o debate! | Denuncie |

Autor: Bruna S.
Parabéns à jornalista por trazer a questão do machismo como pano de fundo de violências cometidas pelos homens contra as mulheres. Chamar casos como o de Suênia de "crime passional" só contribui para mascarar as reais motivações dos feminicídios, os vários assassinatos de mulheres(...) | Denuncie |

Autor: carol carol
vi alguns comentarios bem lucidos vindos de alguns homens aqui no topico, mas a magda infelizmente merece um °cala a boca, magda°, pois nao entendeu que independentemente da pessoa, nada justifica o assassinato ou a violencia contra um outro humano. | Denuncie |

Autor: Alísio Alves
Procure uma mulher que não se apaixone por um homem dominador e se achar e provar na vida real que ele existe, eu fico calado. Homem já é sinal de pulso forte. Por que se não for assim, a mulher vai se relacionar com outra. Aí fica tudo zero a zero. | Denuncie |

Autor: Ricardão Ricardão
Tá faltando uma reportagem sobre a mulherada que mete o pau na machaiada, pode consultar nas DPs, todo dia aparece um surrado. | Denuncie |

Autor: Jota Jr
Relacionar-se exige sabedoria e cautela (exame do nosso interior e do outro), para saber com quem ir, como ir e até onde, porque a complexidade das pessoas exige muito cuidado. Jota do Cerrado. | Denuncie |

Autor: Pedro Ivo Pellicano
E a novidade? | Denuncie |

Autor: jose barros
o machismo e a dominação do homem sobre a mulher é coisa de gente ultrapassada! se agente nao acabar com isso vai continuar acontecendo essas coisas. sem falar que precisamos mudar nossa cultura de ficar zoando homem traido... | Denuncie |

Autor: jose barros
machismo hoje em dia é um negocio que os homens precisam se libertar. as mulheres não aceitam mais isso e ou agente muda ou continuará acontecendo isso! essas pessoas precisam se tratar com psiquiatras urgentemente e a mulherada nao se envolver com estes tipos. | Denuncie |

Autor: Daniela Dutra
O que falta a estes homens arrogantes é uma boa surra, e que esta justiça demente que nós temos seja um dia transformada em justiça real, e não nestas condenações com mais benefícios do que tem os trabalhadores do dia a dia.A sociedade não acredita mais no Código de Processo Penal Brasileiro.É fato! | Denuncie |

Autor: Geraldo de Melo
Isso realmente não é amor. Muito pelo contrário, é falta. E falta de amor está relacionado com o fato de o homem ter afastado de Deus e se tornado amante de si mesmo, presunçoso, arrogante, desafeiçoado, intolerante, possessivo, egoista, jactancioso, etc e etc. Então, retornem aos braços do Pai amado | Denuncie |

Autor: João Laurentino
a mídia apresenta a mulher como algo e não como alguém,depois ela é tratada desta forma. Aí a sociedade que não exige da mídia a devida ética fica espantada!!!!?????Pura hipocrisia????Ou ignorância? | Denuncie |

Autor: Sérgio Prado
A cura é uma surra bem dada nesses covardes já sabendo que SE encostar um dedo na mulher, vai levar outra surra. Esse tipo de covarde NUNCA levou uma surra, por isso se acham no direito de bater. Podem ter certeza, depois da surra viram uns anjos. | Denuncie |

Autor: dimas moreira
1) As ciências comportamentais devem evoluir e buscar formas de prevenção para situações de risco para as vítimas; 2) a cultura emocional deve ser ensinada desde a infância (as mães são fundamentais neste processo) e 3) a legislação deve contemplar penas rigorosíssimas para os agressores. | Denuncie |

Autor: Magda
E qual é o perfil das mulheres que se envolvem com esse tipo de homem? | Denuncie |

Autor: valdeci neto
Isso não é doença, e sim certeza de impunidade! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.