publicidade

Novo comandante da Polícia Militar prevê contratação de 1,5 mil policiais

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 11/01/2012 07:40 / atualizado em 11/01/2012 10:52

Miguel de Pádua/PMDF

A queda significativa no número de homicídios e de sequestros relâmpago, o combate ao tráfico de drogas e a prevenção à embriaguez ao volante fazem parte das linha de trabalho do novo comandante da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), coronel Sebastião Davi Gouveia, 53 anos, que assumiu ontem o posto. Ele anunciou o incremento de operações como Álcool Zero e Força Tarefa, que visa prevenir os crimes como assassinatos e roubo com restrição de liberdade. A presença maciça da polícia nas ruas, de acordo com o coronel, virá com a utilização extra dos 1.650 policiais formados recentemente. Mas Gouveia quer mais: vai pedir ao Governo do DF a contratação de mais 1,5 mil policiais e a formação de outros 150 oficiais. A troca das chefias regionais será anunciada até o fim desta semana.

O novo comandante assume a corporação numa realidade de aumento do número de homicídios e do registro cada vez mais frequente de um crime novo para a realidade local: o sequestro relâmpago. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do DF, somente no ano passado, foram notificadas 20 ocorrências. Para Gouveia, a presença da PM nas ruas ajuda a inibir esse tipo de delito, assim como os homicídios. É por meio da Operação Força Tarefa, que deve ser iniciada na próxima semana, que ele pretende cumprir esse objetivo.

Como parte do reforço do efetivo da corporação em todo o DF, será intensificada a cobertura das duplas de policiais que fazem patrulhamento a pé, a popular Cosme e Damião. Um dos pontos para onde elas serão direcionadas são as passarelas subterrâneas do Plano Piloto. O novo comandante garantiu, no entanto, que o trabalho também chegará a outras regiões administrativas do Distrito Federal. “Eles serão colocados em locais com maior circulação de pessoas. As principais são Plano Piloto, Taguatinga e Ceilândia, porém, nas demais satélites, nas áreas centrais e comerciais, eles também estarão presentes”, explicou.

O coronel reconheceu os problemas nos postos de policiamento comunitário e garantiu que pretende dotá-los de mais infraestrutura, além de providenciar aumento do efetivo. Além disso, ele destacou que, como forma de incentivar a tropa e aumentar o número de PMs nas ruas, vai solicitar que o GDF aumente as cotas de serviço voluntário gratificado — pagamento feito aos policiais que se colocam à disposição para trabalho extra. O novo comandante afirmou que trabalhará para que as promoções suspensas no fim do ano passado, por determinação do Tribunal de Contas do DF, passem a valer o mais brevemente possível. “Esperamos que essas promoções sejam realizadas para poder dar continuidade ao nosso trabalho e buscar uma maior satisfação dos nossos policiais”, acrescentou. Gouveia ressaltou que a Procuradoria-Geral do DF vem trabalhando nesse sentido.

Trabalho reconhecido

O novo comandante assumiu o posto em cerimônia realizada na manhã de ontem, no Salão Nobre do Quartel-General do Comando da PMDF, com a presença do governador em exercício, Tadeu Filippelli (PMDB), do secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar, e de toda a cúpula da corporação. Os dois superiores do comandante no Executivo destacaram o trabalho do antecessor, coronel Paulo Roberto Wick Rosback. “Seu trabalho é reconhecido”, resumiu Filippelli.

Coronel Gouveia está na PM há 28 anos e é um dos oficiais mais experientes da corporação. O próprio coronel Rosback declarou que recorria a ele quando precisava de orientações e de conselhos. Gouveia ocupava a função de chefe do Departamento Operacional. “O decano, o amigo, o conselheiro a quem eu recorria em algumas horas”, disse Rosback, durante a cerimônia de troca de comando.

O deputado Patrício, que fez parte da corporação e tem nela uma de suas principais bases eleitorais, foi o articulador central da mudança. Ele tem relações próximas com o coronel Gouveia, que é seu vizinho. No entanto, ele não participou da solenidade, apesar de ter sido lembrado, em discurso, pelo ex-comandante. A assessoria do parlamentar, presidente da Câmara Legislativa do DF (CLDF), informou que ele não pôde comparecer porque tinha agendado, para o mesmo horário, exames médicos.

PERFIL

Coronel Sebastião Davi Gouveia
Goiano de Cromínia, o atual comandante da PMDF tem 53 anos e integra a corporação desde maio de 1983. Iniciou a carreira no Exército Brasileiro em 1977. É bacharel em direito e participou de vários cursos e operações ao longo da carreira. Gouveia teve vários cargos de chefia e comando na Polícia Militar. Desde o início de 2011, ele ocupava a função de chefe do Departamento Operacional. Morador do Gama, o coronel é vizinho e amigo do deputado distrital Patrício (PT), presidente da Câmara Legislativa, que articulou a indicação para o comando.

publicidade

publicidade