Delação premiada ajudou polícia a prender suspeitos de queimarem mendigos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/03/2012 12:39 / atualizado em 07/03/2012 14:37

Luiz Calcagno

Ed Alves/CB/D.A Press

A polícia apresentou na manhã desta terça-feira (6/3) quatro dos sete suspeitos de atearem fogo em dois moradores de rua em Santa Maria, no último dia 26. Estão presos o comerciante Daniel de Abreu Lima, 36, suspeito de ser o mandante da barbárie, Lucas Júnior Araújo e Sá, 19 anos, conhecido como Lucão, que teria jogado o combustível sobre os mendigos, Edmar Pereira da Cunha Júnior, 19 anos, conhecido como Juninho e que teria riscado o fósforo sobre as vítimas e também Gervanio Balbino de Oliveira.

A polícia chegou até os suspeitos após a prisão de Daniel Douglas Cavalcante Cardoso, de 19 anos. O rapaz confessou participação no crime e, após ser beneficiado com a delação premiada, entregou os demais integrantes do grupo. Dois menores ainda estão em liberdade.

Em coletiva de imprensa realizada nesta manhã, o delegado-chefe da 33ª Delegacia de Polícia, Guilherme Nogueira, informou que Daniel de Abreu teria oferecido R$ 100 para Edmar se livrar dos dois moradores de rua, Paulo Cezar Maia, 42 e José Edson Miclos de Freitas, 26 anos. Tudo teria sido planejado pelo comerciante, que também teria deixado uma garrafa de amaciante com combustível e uma caixinha de fósforo no local do crime. Ele estaria incomodado com a presença dos mendigos no local, que atrapalhava o comércio.

Edmar e os demais suspeitos, todos moradores da quadra 516 de Santa Maria, foram até a região onde os mendigos viviam, colocaram fogo em um sofá e depois foram embora. Ao chegar no local, o comerciante viu que Paulo Cezar e José Edson tinham apagado o fogo e que o incêndio não os tinha espantado. Então ele teria ido até um posto, comprado mais R$ 15 em combustível e voltado a quadra 516. Lá, se encontrou com os comparsas, que foram novamente até a região do crime e atearam fogo nas duas vítimas. José Edson acabou morrendo horas depois, com 63% do corpo queimado. Paulo Cezar segue internado em estado grave no Hospital Regional da Asa Norte (Hran).

Edmar já tinha passagem na polícia por furto qualificado e corrupção de menores. Lucas tem passagem por lesão corporal e Maria da Penha e o suposto mandante já teria assinado um termo circunstanciado por maus-tratos. Agora eles irão responder por duplo homicídio qualificado, um consumado e outro tentado. Qualificado por emprego de fogo, promessa de recompensa, motivo fútil e com meios que impossibilitaram a defesa das vítimas. Se condenados podem pegar de 12 a 30 anos de prisão. O comerciante Daniel de Abreu Lima também responderá por corrupção de menores.