cidades df
  • (20) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Com quase 9 mil detentos, Papuda intercala momentos de monotonia e tensão A maior penitenciária do Distrito Federal tem uma rotina própria. A partir de hoje, série de reportagens mostra de perto relatos de morte, perigo, dor e esperança

Saulo Araújo

Breno Fortes

Publicação: 16/09/2012 08:04 Atualização: 16/09/2012 09:42

Pátio interno do Centro de Internação e Reeducação, uma das quatro unidades do Complexo Penitenciário da Papuda, em São Sebastião: reportagem passa quatro dias dentro do presídio
Pátio interno do Centro de Internação e Reeducação, uma das quatro unidades do Complexo Penitenciário da Papuda, em São Sebastião: reportagem passa quatro dias dentro do presídio


O tempo passa devagar no maior presídio do Distrito Federal. São 15h30 de uma terça-feira e 9 mil detentos aproveitam os últimos minutos do banho de sol. De repente, a monotonia é quebrada por uma sirene estridente. Algo está errado. Encarregados de funções burocráticas largam tudo e se armam com cassetetes. Do portão principal, surgem agentes de preto fortemente armados. Em três minutos, a tropa invade a Ala B da Penitenciária 2 do DF (PDF II) e se depara com um grupo rebelde que se recusa a voltar para as celas. O clima é de tensão. Qualquer ação precipitada pode culminar em um motim. Homens responsáveis pela segurança gritam comandos de ordens aos presos. Os internos recuam. A vida atrás das grades volta ao normal.

O episódio ocorreu em 28 de agosto último e faz parte da rotina do Complexo Penitenciário da Papuda, formado por quatro grandes unidades. Ali estão os criminosos mais perigosos da capital. São assassinos, estupradores e ladrões acertando as contas com a Justiça. Administrar essa massa carcerária é uma tarefa complexa. Fosse uma cidade, o complexo teria quase o dobro de moradores do Varjão, onde vivem 5 mil pessoas. Durante quatro dias, a equipe de reportagem do Correio percorreu os corredores sombrios do estabelecimento prisional. Os relatos de morte, dor e esperança são contados nesta série de reportagens que o jornal publica a partir de hoje.

Tags: celular

Esta matéria tem: (20) comentários

Autor: Cláudia do bem
Trabalho, trabalho e trabalho!!! | Denuncie |

Autor: Cláudia do bem
Direito ao trabalho e uma vida digna a todos em primeiro lugar! Depois, certamente eles agradeceriam se tivessem a oportunidade de trabalhar para seu próprio sustento, pelo menos a grande maioria. Mas prefere-se investir no Estádio para a tão esperada Copa a resolver nossos problemas internos! | Denuncie |

Autor: Rafael
Esses presidirários tem mais horas de banho de sol que eu, que passo o dia inteiro trancado em uma sala no trabalho. | Denuncie |

Autor: Bianca Jamar
Bota pra trabalhar pesaaado, que assim eu quero ver se vai existir monotonia... | Denuncie |

Autor: maicon gomes
salário digno e condição de trabalho para todos os agentes de atividade penitenciaria e agente penitenciário, trabalhar no complexo penitenciário tem que saber e gostar. o clima não é dos mais agradáveis | Denuncie |

Autor: Flavio Santos
Cláudia do bem, não se preocupe, pois o capeta já cuida dessas pessoas. O lugar deles está guardado lá no quinto dos infernos. Está com dó? Vá junto com eles. O diabo agradece. | Denuncie |

Autor: Cláudia do bem
A Papuda assim como outros presídeos mais paracem campos de concentração que centro de reeabilitação. Ninguém percebe que ali é um lugar de formação de bandidos. E se não houver ninguém por essas pessoas teremos uma sociedade condenada. | Denuncie |

Autor: GILMAR PEREIRA
so ouvesse pena de morte a maioria destes presos estaria mortos pelos barbaros crimes. | Denuncie |

Autor: filomena rocha
Concordo plenamente com Fernando Pereira. Se trabalhassem nao se sentiriam tao deprimidos e ajudaria a sentirem-se de algum valor. | Denuncie |

Autor: Thiago Lopes Lopes
Monotonia e Tensão!!!! rrsrs isso não chega aos pés do que esse marginais fizeram com suas vitimas....se estão ai coisa boa que não fizeram !!!!acho e pouco.... | Denuncie |

Autor: Pablo Ribeiro
O título "Cidade enclausurada" serve para Brasilia onde as casas precisam ser gradeadas por que a legislação dá a esses covardes benefícios mil. A política penitenciária brasileira não quer construir cadeias por isso amolece a mão do estado e não mantém os criminosos presos. | Denuncie |

Autor: Paulo Pereira
Vamos ser realistas srs leitores. Penitenciária brasileira é sinônimo de escola do crime e na Papuda não é diferente. Se preso fosse obrigado a trabalhar em lavouras, construção de estradas e demais trabalhos pesados custariam menos à sociedade e talvez houvesse menos motins. | Denuncie |

Autor: Jurandir Sousa
É uma pena não podermos sentir pena deles, afinal, pela criatividade que têm, poderiam usar para o trabalho honrado, mas infelizmente foi para o crime. | Denuncie |

Autor: Epaminondas Levis
Pena de morte já! | Denuncie |

Autor: CLEITON PEREIRA DA SILVA
O sistema no Brasil é falido isso todos sabem,porém há salvação:Primeiro -os presidios no Brasil devem ser construidos a um distância de 1000km da cidade mais proxima e na área externa ao presidio -trabalho na roça.Dividir turnos de presos.Plantar para comer .Eles precisam desocupar a mente. | Denuncie |

Autor: ducilneide drumond
Esses detentos podiam estar recuperando escolas, estradas, rodovias, limpando cidades, plantando etc., dando sua contrapartida à sociedade e pagando por tantos males causados e por tantas despesas que dão. | Denuncie |

Autor: Elizete Ferandes
A Polícia o MPDFT e a Justiça tem que caminhar juntos para combater a criminalidade. E a detentos arrocho, coloque-os para trabalhar. Estes cidadões quando estão soltos não tem dor de ninguém. A eles arrocho é ao homem e a mulher ilibada que o Estado tem que olhar. | Denuncie |

Autor: Ro kkkkk
Não tenho pena de nem um ! Fiquei ainda sabendo que os detentos que tem filhos, os filhos deles tem direito a um salario por eles estarem preso, enquanto isso a vitima e os filhos das vitimas ficam passando necessidade graças esses marginais, a lei só vem para beneficiar as pessoas do mal. | Denuncie |

Autor: Diego perea
Alguém escutou os Agentes? Suas angustias , medos, falta de reconhecimento social , falta de rádios, estrutura precária de trabalho, direitos humanos interferindo em questoes se segurança, perseguições aos trabalhadores..etc...alguém? | Denuncie |

Autor: Fernando Pereira
Sugestão para combater os momentos de ócio e tensão: Ao invés de deixa-los o tempo todo sem fazer nada e gastando o dinheiro do contribuinte, criem colonias penais agrícolas e botem esses meliantes para trabalhar para poder comer. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.