SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Após estrago da chuva, alunos de artes da UnB pedem melhores instalações

Na última terça-feira (25/11), a chuva alagou o prédio do instituto e as aulas foram canceladas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/11/2014 14:32 / atualizado em 27/11/2014 15:10

Diego Ponce de Leon

Reprodução internet / Divulgação


Algumas reivindicações tomaram conta do Departamento de Artes Cênicas da Universidade de Brasília (UnB), na manhã desta quinta-feira (27/11). Cerca de 150 alunos se reuniram em assembleia para debater as medidas cabíveis para que o semestre possa ser finalizado sem maiores prejuízos. No começo da semana, a chuva invadiu as instalações do instituto e impediu a condução das aulas.

O estrago foi tamanho a ponto de impossibilitar o tradicional Cometa Cenas, no qual são apresentados os trabalhos finais do período. Em discursos aclamados, eles pediram por uma melhor estrutura e por uma atenção dedicada da reitoria.

A reunião contou com a presença de pelo menos 10 professores. Alguns estudantes chegaram a cogitar boicotar a matrícula para o próximo semestre ou ainda impedir a realização das provas específicas para cênicas, no vestibular de janeiro.

Leia mais notícias em Cidades


“Este ano, comemoraríamos 30 anos de Cometa Cenas. Só temos a lamentar”, comentou o aluno Rodolfo Godoi, que participou do evento. O colega Gregório Benevides enfatizou o número de pessoas reunidas: “Essa quantidade de gente demonstra a preocupação com o departamento de cênicas, tanto por parte dos discentes, quanto dos docentes”, afirmou.

Miguel Peixoto, que frequenta o quarto semestre do curso, reclamou da falta de recursos e de uma omissão por parte da administração da UnB: “A reitoria vem prometendo soluções, mas não as cumpre. A telha do departamento, por exemplo, não suporta o período de chuvas, causando alagamento e o estrago da instalação elétrica”, criticou.

Resposta
Em entrevista ao Correio, o reitor da UnB, Ivan Camargo, disse que alguns ajustes foram feitos recentemente para evitar transtornos, mas que “infelizmente, os resultados não foram satisfatórios”. Ele admitiu que a telha e o quadro elétrico do prédio precisam ser revistos.

Quanto ao cancelamento do Cometa Cenas, o professor disse ter se reunido com os coordenadores do departamento e que, juntos, buscaram algumas alternativas. “Sugerimos que as apresentações fossem durante o dia e que os alunos buscassem espaços alternativos pela universidade para apresentar os trabalhos”, afirmou.

No geral, o reitor transpareceu um tom de descontentamento, não somente com o ocorrido (“uma calamidade”), mas com as alegações de descaso: “Não resta dúvida da necessidade de melhorias. Mas reitero que o Instituto de Artes, um dos departamentos fundadores de nossa universidade, é objeto de toda nossa atenção e esforço. Estamos abertos ao diálogo para buscarmos melhores resultados.”