De calça jeans, Rollemberg pedala até o Buriti para incentivar a prática

Durante 45 minutos, o governador percorreu 6km por alguns trechos de ciclovias do Plano Piloto. Ele foi convidado por ONG do segmento para participar da campanha De Bike ao Trabalho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/05/2015 10:30 / atualizado em 08/05/2015 21:32

Thiago Soares

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
Com a proposta de dar exemplo para os brasilienses ao priorizar a bicicleta como meio de transporte, principalmente no trajeto para o trabalho, o governador Rodrigo Rollemberg trocou o carro oficial pela magrela. Ele saiu às 8h30 desta sexta-feira (8/5) da 206 Sul com destino ao Palácio do Buriti, mas esqueceu de trocar a tradicional calça jeans por roupas mais leves recomendadas para a prática do pedal. A escolha da vestimenta foi justamente para mostra que é possível ir ao trabalho pedalando.
 
Leia mais notícias em Cidades

Durante 45 minutos, o governador percorreu 6km por alguns trechos de ciclovias do Plano Piloto. Acompanhado por um grupo de aproximadamente 30 pessoas, Rollemberg viu de perto os problemas enfrentados por quem opta por pedalar em Brasília. Os desníveis na pavimentação foram as principais queixas do chefe do Executivo. “Percebi a má qualidade das calçadas e também muitas interceptações com vias. Em alguns pontos, o compartilhamento das pistas não estão sinalizados para os ciclistas”, apontou.

Rollemberg foi convidado pelo grupo Bike Anjo em uma ação que faz parte da campanha De Bike ao Trabalho, realizada anualmente, em maio, em vários países. O objetivo da iniciativa é incentivar pessoas, organizações, empresas e governos a usarem a bicicleta como opção de transporte para ir ao trabalho. A campanha começou nos Estados Unidos com o nome Bike to Work Day, em 1956, organizada pela League of American Bicyclists (Liga dos Ciclistas Americanos). No Brasil, os eventos começaram em 2013 e ocorrem na segunda sexta-feira do mês de maio.

O governador, que foi pela primeira vez trabalhar de bicicleta, gostou da experiência. “Foi um passeio positivo e agradável, mas percebemos que a cidade tem muitos problemas e precisa se adaptar para criar uma cultura de respeito ao pedestre e ciclista”, comentou. Rollemberg também percorreu alguns trechos sem ciclovia. “Temos que garantir segurança para que as pessoas possam ser estimuladas a andar de bicicleta. A solução também seria campanhas educativas permanentes”, afirmou. Ele estava acompanhado do secretário de Mobilidade, Carlos Tomé, e de ciclistas da Ong Rodas da Paz e do Bike Anjo.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Jasson
Jasson - 08 de Maio às 13:26
Agora que identificou as dificuldades encontradas no Plano Piloto, chega o momento de pedalar em alguma cidade satélite e chegar ao Butiti de biscicleta, trafegando junto com os carros. Aproveitando essa vontade de conhecer as dificuldades de mobilidade no DF, poderá aproveitar e experimentar uma viagem no nosso transporte urbano e levar o secretário da área junto. De preferência no momento "de pico" em um veículo cheio e em pé. Muitas coisas irão melhorar. Pode ser um divisor de água.
 
tiagonic
tiagonic - 08 de Maio às 11:42
E tem que colocar mais ônibus a disposição depois de meia noite, quando o metrô fecha. Tem também que colocar um ônibus que entre em Águas Claras depois deste horário, pois quem mora lá fica refém do carro e se vem de transporte público para trabalhar, estudar e se quiser ficar para se divertir com os amigos aqui do Plano tem que voltar em casa, pegar o carro, vim para o Plano, não beber nada alcoólico, e voltar, porque simplesmente o transporte público para ou não existe. O que fica claro é que o governo do GDF articulou uma prisão, com um sistema perverso para que você apenas trabalhe, compre imóveis, pague impostos e infrações de trânsitos.