SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Presidente do ICMBio, Rômulo Mello morre após sofrer infarto

Por nota, o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, agradeceu por ter convivido com Rômulo e se disse profundamente triste

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/10/2016 15:55 / atualizado em 10/10/2016 20:53

Patrícia Rodrigues - Especial para o Correio

Reprodução


Morreu na manhã desta segunda-feia (10/10), vítima de um infarto fulminante, Rômulo José Fernandes Barreto Mello, presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Servidor de carreira no serviço público, Rômulo ocupou, desde cedo, vários cargos no governo federal na área do meio ambiente.


Por nota, o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, agradeceu por ter convivido com Rômulo e se disse profundamente triste. "Testemunhamos, na convivência com ele, a sabedoria, a inteligência e a paixão que dedicou às questões socioambientais, na nossa luta cotidiana pelo meio ambiente. Sua amizade e seu trabalho, firme e generoso, farão imensa falta na nossa gestão."

Rômulo foi o primeiro presidente da instituição. Consolidou o ICMBio, contabilizou importantes avanços, como a estruturação do Instituto, a ampliação do quadro de servidores, o processo de planejamento estratégico institucional e a criação de 12 unidades de conservação.

 

Leia mais em Cidades

 

No Governo do Distrito Federal, assumiu o cargo de subsecretário de Áreas Protegidas, Cerrado e Direitos Animais, na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e foi diretor-presidente da Fundação Jardim Zoológico de Brasília até maio de 2016. Paraense, Rômulo tinha 58 anos e deixa mulher e três filhos. Ainda não há informações sobre o sepultamento.

Confira a nota na íntegra do Projeto Onçafari:

Nós do Projeto Onçafari lamentamos a morte do presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Rômulo José Fernandes Barreto Mello, nesta segunda-feira (10/10). Prestamos aqui solidariedade aos familiares e amigos desse parceiro da preservação da biodiversidade, um homem que dedicou a vida à conservação da maior riqueza do país: o meio ambiente. Rômulo tinha 58 anos e deixa mulher e três filhos. Hoje, nós e as onças estamos mais tristes.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
cleyvisson
cleyvisson - 11 de Outubro às 07:52
UMA GRANDE PERDA!!!

publicidade