SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Dados do registro de ponto de 32 mil servidores da Saúde do DF somem

As informações do Sistema Forponto, que registra a frequência e as horas trabalhadas, foram apagadas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/10/2016 13:34 / atualizado em 26/10/2016 15:23

Otávio Augusto

Dados do Sistema Forponto — registra a produtividade dos servidores da Secretaria de Saúde — foram apagados desde a última sexta-feira (21/10). Sem as referências, a pasta não tem como analisar a presença dos servidores,  contabilizar as horas trabalhadas, medir as horas extras, entre outras informações. O Correio apurou que, ao todo, são cerca de 32 mil servidores na Secretaria de Saúde. 

A subsecretária de Gestão de Pessoas (Sugep), Jaqueline Carneiro Ribeiro, registrou ocorrência. Uma técnica da área, que pediu para não ser identificada, conta que os coletores (leitores de digitais) estão com datas retroativas  e os técnicos perderam as senhas e o histórico.
 
Desde o início da manhã, integrantes da Comissão do Ponto tentar recuperar as informações. Entretanto, o acesso está offline, ou seja, a plataforma não está respondendo aos comandos. 

A Secretaria de Saúde foi procurada, mas ainda não comentou o caso. Por telefone, a assessoria de comunicação disse que estava apurando a demanda. 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Leonardo
Leonardo - 27 de Outubro às 01:41
Essa fundação e uma vergonha !!
 
Carlos
Carlos - 26 de Outubro às 22:16
O setor público é uma zona....
 
José
José - 26 de Outubro às 15:33
NESSE MATO TEM COELHO.
 
frank
frank - 26 de Outubro às 14:05
Esses dados não sumiram foram os médicos que não foram trabalhar. Por este motivo nunca tem médico na rede pública.
 
frank
frank - 26 de Outubro às 14:05
Esses dados não sumiram foram os médicos que não foram trabalhar. Por este motivo nunca tem médico na rede pública.
 
Lost
Lost - 26 de Outubro às 13:55
Vai dizer que em pleno 2016, com utilização maciça de storages de alto desempenho, banco de dados com backup em tempo real e o diabo esses dados não têm nenhuma cópia que possa ser recuperada. Se isso for verdade, demita essa corja que não sabe nada de informática, pelamor...

publicidade