SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Racionamento não tem prazo para acabar e corte pode durar mais de 24h

Se a interrupção inicial não for suficiente, o período poderá ser ampliado. A medida foi anunciada na tarde desta segunda-feira (7) pela Adasa e as pessoas saberão com antecedência quando ficarão sem água

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/11/2016 15:41 / atualizado em 07/11/2016 18:16

Adriana Bernardes , Isa Stacciarini

Edilson Rodrigues/CB/D.A Press
 
Com o nível do principal reservatório que abastece o Distrito Federal, o Rio Descoberto, na casa dos 20,68%, a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) apresentou a resolução que trata do racionamento do uso da água. Inicialmente haverá interrupção no abastecimento por 24 horas seguidas.  Se isso não for suficiente, o período de 24h será ampliado. A medida foi anunciada na tarde desta segunda-feira (7/11) e será colocada em prática assim que o nível dos reservatórios chegar a 20% ou menos. Não tem data para acabar.
 
 
As pessoas saberão com antecedência quando ficarão sem água e os dias, horários e locais, assim como quantidade de moradores afetados. Mas o diretor-presidente da Adasa, Paulo Salles, alertou que quem for guardar água deve ter o cuidado com o armazenamento para garantir a qualidade. Já a Caesb deve garantir a preservação da rede para evitar rompimento quando for religar o sistema e, por isso, a água pode retornar devagar para a casa do consumidor.
 
O racionamento não vai atingir hospitais, hemocentros, centros de diálise e estabelecimentos de internação.

Para o futuro as previsões não são boas. A meta é buscar alternativas de abastecimento. Segundo Salles, as medidas entram em vigor quando o reservatório atingir 20%. A resolução, que será publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), vai estabelecer critérios para a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) atender a população. Poderá haver, por exemplo, redução na pressão da água que chega às casas ou rodízios no fornecimento. 
 
Mas as regiões administrativas não ficarão sem água ao mesmo tempo. Isso significa que haverá paralisação parcial do sistema de abastecimento. A cada semana o plano será reavaliado pelos órgãos que atuarão para conscientizar a população sobre a redução do consumo, especialmente por meio de campanhas educativas.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Robson
Robson - 08 de Novembro às 07:11
Vamos agradecer o racionamento aos governos dos últimos vinte anos no DF. Fizeram uma montanha de cidades sem planejamento hídrico, social, ocupacional e de toda ordem. Resultado? O caos. A falta de água não culpa da falta de chuva e, sim, da falta de investimentos em captação.
 
JAILSON
JAILSON - 07 de Novembro às 22:24
a Caesb vai devolver o acréscimo da conta de água agora cobrado, quando estiver sobrando água nos reservatórios ?

publicidade