SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Plano diretor busca estimular o turismo em Brasília

Plano apresentado nesta terça pela Fecomércio-DF destaca medidas para Brasília ser potência turística internacional até 2030

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/11/2016 13:00 / atualizado em 08/11/2016 20:40

Correio Braziliense

Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press


Unir esforços da iniciativa pública e privada para explorar o potencial turístico da capital federal. Esse é o grande objetivo do Plano Diretor de Turismo elaborado pela Federação do Comércio do DF (Fecomércio-DF) e entregue nesta terça-feira (8/11) ao governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg. O documento, de mais de 80 páginas, sugere, entre outros pontos, revitalizar os principais monumentos de Brasília, investir na captação de eventos de grande porte e ampliar o transporte público da cidade.

"Assim como precisamos arrumar a casa quando vamos receber visita, o governo precisa arrumar Brasília para recebermos os turistas", comentou o presidente da Fecomércio, Adelmir Santana. Segundo ele, o DF ainda sente dificuldades para manter os seus inúmeros pontos turísticos, e, com isso, desperdiça a oportunidade de atrair recursos.

Divulgação - Joel Rodrigues/ Fecomércio-DF

 

Turismo sustentável

 

Outro problema enfrentado por Brasília para ampliar o potencial turístico é, de acordo com o plano, um baixíssimo investimento na revitalização do Cerrado, bioma característico do Centro-Oeste. O turismo sustentável seria, então, a solução para a cidade angariar recursos com a visita de viajantes e cumprir acordos internacionais de preservação do meio ambiente. “A ideia é promover o turismo sustentável, que gera empregos, promove a cultura e os produtos locais”, argumentou Santana. Se seguir o plano sugerido pela Fecomércio, a expectativa é de que Brasília consiga se consolidar como uma potência turística internacional até 2030.

Leia mais notícias em Cidades

Ao comentar o documento, o deputado distrital Wasny de Roure (PT) cobrou do governo um maior cuidado com o fundo de recursos de turismo que estaria "inexequível". "Muitas vezes, temos boas ideias na Câmara Legislativa, mas precisamos do apoio do Executivo para realizar as ações", disse o parlamentar.

Já Rollemberg se mostrou bastante satisfeito com o Plano Diretor. “Eu considero extremamente importante essa união proposta pela Fecomércio para que nós possamos ter um plano a ser seguido e que norteie o turismo local. Reconheço que os nossos equipamentos turísticos precisam ser melhorados. Com esse intuito recebo com muito orgulho esse documento que será de grande ajuda para o nosso governo”, disse Rollemberg.

 

O governador destacou ainda que as parcerias com o setor produtivo trarão grandes ganhos para a sociedade. “Eu não tenho duvida que o turismo é uma das alternativas mais rápidas e mais baratas que garantem o desenvolvimento sustentável de uma população. Vamos ler esse plano com muita atenção para acompanhar cada passo”, afirmou.

 

Contas públicas

 

Ele, no entanto, destacou que, para conseguir capitalizar o fundo de investimentos de turismo de Brasília e colocar as ações em prática, é necessário, primeiro, reequilibrar as contas públicas.

 

"Hoje, 70% do nosso orçamento é para o pagamento de servidores públicos. Por isso, precisamos, antes,  garantir o pagamento dos salários em dia", lembrou o governador. Mas ele destacou que o governo vem implementando medidas para explorar o turismo candango. "Estamos trabalhando na regularização dos puxadinhos e em leis de conforto acústico", finalizou.

 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade