SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

DF ficará sem ônibus e sem aulas na rede pública nesta sexta-feira

Pela manhã, rodoviários vão parar durante cinco horas. Já os professores anunciaram paralisação de 24 horas. Outras categorias também aderem ao movimento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/11/2016 20:43 / atualizado em 10/11/2016 21:19

Alessandra Modzeleski - Especial para o Correio

Jhonatan Vieira/Esp. CB/D.A Press
 
A frota de ônibus do Distrito Federal não vai circular entre 4h e 9h desta sexta-feira (11/11). Os rodoviários se juntarão ao Dia Nacional de Greve, organizado pela Central Única de Trabalhadores (CUT). Após o período, os coletivos voltarão a circular normalmente.
 
 
A paralisação é um protesto contra o que classificam de "pacote de maldades do governo federal", segundo o diretor do Sindicato dos Rodoviários, Jorge Farias. A categoria discorda da reforma na previdência, da terceirização e da PEC 55 (ex-241), que limita os gastos públicos durante 20 anos.
 

Mais paralisações

Professores da rede pública também vão cruzar os braços nesta sexta-feira. Durante 24 horas, os alunos de todos os períodos e escolas do DF não terão aulas. A decisão foi tomada na manhã desta quinta-feira (10/11), após assembleia do Sindicato dos Professores (Sinpro-DF), com mais de 3 mil pessoas. A manifestação é contrária à reforma do ensino médio e à PEC 55. O cronograma define, ainda, outras mobilizações, como panfletagens e protestos ao longo do mês.

Os vigilantes de escolas e de hospitais também interromperam os serviços na manhã desta quinta-feira. O salário da categoria, de R$ 2,5 mil, está atrasado. Deveria ter sido pago na última segunda (7). A greve do Sindicato dos Servidores da Assistência Social e Cultural do GDF (Sindsasc) dura sete dias, enquanto a do Sindicatos dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem ocorre há 20.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Wilson
Wilson - 11 de Novembro às 09:37
Razões do protesto: Iminência de acabar a obrigatoriedade do imposto sindical. Quem viveu durante décadas surrupiando dinheiro do trabalhador via imposto sindical não quer largar o filé mignon e ter que comer costela, nem se fala em carne de pescoço.
 
Rodrigo
Rodrigo - 11 de Novembro às 06:48
Pacote de maldades foram os 13 anos que essa gente vermelha permaneceu no poder, assaltando e destruindo o país, e agora fazendo criança e adolescente de massa de manobra política e oposição sistemática contra o Brasil.
 
Rister
Rister - 10 de Novembro às 22:48
O país está quebrado!!! Os governantes conseguiram!! E agora querem que o povo e classe trabalhadora pague a conta. A mídia deveria explicar direito para sociedade o que é essa PEC 55 e não fica somente falando que é controle de gasto público... Falem a verdade!!! Se acabassem com essa roubalheira e todos que desviam dinheiro público devolvessem, isso não estaria assim!!! Vamos cortar as regalias dos parlamentares e teremos economia.. Vamos fiscalizar, vamos colocar pessoas gestores nos órgãos e não apadrinhados e tudo ficará melhor!!! Expliquem tudo a sociedade impressa manipuladora !!!
 
Iris
Iris - 10 de Novembro às 21:52
Nem todas as escolas irão parar, a 305 Sul funcionará normalmente, assim como outras tb.

publicidade