Consumidores devem ter cautela com promoções da Black Friday

A próxima sexta-feira é o dia marcado pelas lojas brasileiras para conceder grandes descontos, sobretudo, nas compras on-line

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/11/2016 18:10 / atualizado em 21/11/2016 18:23

Hugo Gonçalves/Esp.CB/D.A Press

 

O consumidor pode se preparar: ainda neste mês a Black Friday chega para os que querem encher a árvore de Natal de presentes e gastar pouco com isso. Este ano, o evento, que reúne promoções imperdíveis, cairá na próxima sexta-feira (25/11). Para os fornecedores, o momento é de esvaziar os estoques. Os compradores, por sua vez, devem aproveitar a oportunidade para adquirir produtos mais baratos nas principais lojas on-line, mas sem perder de vista alguns cuidados importantes a fim de evitar fraudes e até dívidas para o próximo ano.


Quem já comprou na oferta e pretende repetir a experiência é a estudante Anna Carolina Orlandi, 19 anos. Segundo ela, o valor pago na Black Friday vale a pena quando se sabe o que adquirir. “Aproveito a época para comprar livros da faculdade, que normalmente têm um preço mais elevado”, revela. A jovem se baseia em experiências anteriores e costuma consumir nas mesmas lojas virtuais para evitar problemas na entrega ou em caso de troca.

Para Diógenes Carvalho, diretor do Instituto Brasileiro de Política e Direito do Consumidor (Brasilcon), é essencial que o consumidor conheça bem os sites que navega. “É preciso checar se a loja tem reclamações recorrentes. Para isso, recomendo que o consumidor acesse sites como o Reclame Aqui e o Procon-DF”, detalha. Além disso, quem compra durante a oferta deve guardar recibos e comprovantes. “Como as compras são feitas virtualmente, o print da tela serve como uma boa garantia”, recomenda.


Cálculo de despesas

 

Uma das principais preocupações das instituições é o superendividamento do consumidor, pois, logo após a Black Friday, outros gastos estão por vir, como é o caso do IPTU, IPVA e possíveis matrículas escolares. Sobre isso, a coordenadora Institucional da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), Maria Inês Dolci, recomenda aos compradores que dividam a compra em poucas vezes, encurtando as parcelas. Ela também indica que se tenha atenção na hora de verificar os meios de pagamento, os prazos de entrega, o custo-benefício e, principalmente, não pagar pelo produto antecipadamente. “Apesar dea Black Friday ser uma oportunidade de comprar com menores preços, o consumidor deve tomar cuidado. Um preço muito abaixo do mercado é preocupante”, alerta.

A coordenadora sugere que os clientes comecem um monitoramento de preços antes da promoção e façam buscas sobre o produto que querem adquirir. O empresário Bruno César Fernandes, 38, vai aproveitar as ofertas do período pela primeira vez este ano e seguiu a dica. Ele se planejou e checou valores com antecedência para evitar surpresas na hora da compra. “Como já sei o que quero comprar, estava atento aos preços antes mesmo da oferta. Quando a data chegar, vou avaliar se realmente existe uma promoção e se vale a pena gastar”, garante. Fernandes pretende comprar livros e jogos digitais e vai escolher grandes lojas de varejo on-line.

O analista jurídico do Instituto de Defesa do Consumidor (Procon) Felipe Mendes afirma que os principais relatos de problema recebidos na época de Black Friday são referentes a preços alterados na hora do pagamento, à falta de possibilidade de devoluções e ao direito de arrependimento. “Caso o consumidor tenha qualquer problema na hora da compra, deve recolher todos os dados e informações e entrar em contato com o Procon, no consumidor.gov, ou até em sites como Reclame Aqui, para que algo possa ser feito.”

A estudante Flávia Batista, 19, comprará na Black Friday pela primeira vez. Ela decidiu esperar a oferta para adquirir uma camiseta do time do coração, o Flamengo. “Produtos assim normalmente são mais caros. Espero que eles realmente venham com uma promoção nessa época”, diz. 

A moça acredita que não terá problemas na hora da compra, pois já tem certos hábitos de segurança, como conferir a reputação das lojas e as políticas de troca.

Na próxima sexta-feira, o Correio publicará um caderno especial sobre a Black Friday. A ideia é mostrar os cuidados que os consumidores devem ter na hora de ir às compras. Além de indicar a melhor forma de aproveitar as ofertas e mapear os segmentos que oferecem os descontos, o suplemento dará dicas sobre como não cair em fraudes ou falsas promoções e como evitar endividamento. "É um excelente momento para aproveitar e conseguir bons descontos, mas é necessário comprar o que realmente se precisa e não por impulso, por achar que está barato demais", alerta o educador financeiro e idealizador do canal Eu Defino, Alexandre Arci.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
MARIA
MARIA - 22 de Novembro às 12:02
Comprei uma vez em 2014 e não pretendo repetir uma compra na tal data nunca mais. Comprei um tablet/notes da sansung em uma loja da Tim. Me deram garantia de um ano. Faltando 04 meses para terminar a garantia o produto apresentou defeito e levei na autorizada. Não aceitaram a garantia pois alegaram que quando da compra o produto já havia sido recolhido das lojas pela sansung e não poderia mais ser comercializado. E a autorizada perdeu meu tablet e até hoje estou brigando pelos meus direitos no juizado de pequenas causas.