SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Governo quer iniciar concessão privada no parque do DF até o fim do ano

O objetivo da medida é aumentar a arrecadação e driblar a crise financeira que assola diversas unidades de conservações federais

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/11/2016 16:41 / atualizado em 24/11/2016 17:26

Correio Braziliense

 Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press

O governo federal planeja iniciar projetos de concessões para o Parque Nacional de Brasília até o fim do ano. O anúncio foi feito pelo ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, no evento "Parques do Brasil". Além do parque da capital, o governo pretende adotar o mesmo modelo para o parque do Pau Brasil, na Bahia, e para a Chapada dos Veadeiros, em Goiás.

O objetivo da medida é aumentar a arrecadação e driblar a crise financeira que assola diversas unidades de conservações federais. Tudo porque muitos parques não conseguiram a renovação de vários contratos de vigilância nos últimos meses, por falta de verbas. A ideia é criar melhores condições para o estabelecimento de pequenos e grandes negócios, como acampamentos, alojamentos, pousadas e hotéis, além de lojas, lanchonetes, restaurantes e circuitos para atividades físicas a fim de "atingir um novo patamar de desenvolvimento e de gestão das unidades de conservação", afirmou Sarney em sua apresentação no evento organizado pelo Instituto Semeia, em São Paulo.

Leia mais notícias em Cidades

O modelo que será adotado no espaço ambiental de Brasília já é usado no parque do Iguaçu, da Tijuca, da Serra dos Órgãos e de Fernando de Noronha. No evento, Sarney disse que planeja "consolidar a moldura institucional e um marco regulatório para desenvolver uma infraestrutura robusta de visitação, com zoneamento menos restritivo às atividades de visitação e mais amigável ao público" nos próximos dois anos.

Sarney explicou que a ideia é trazer um suporte financeiro justamente porque a situação é de crise. "(Fazer a concessão) é importante porque estamos em um momento em que os investimentos do governo federal praticamente não existem. Precisamos de parcerias. Como isso é feito em muitos países com muito sucesso, nós estamos aqui nos associando com iniciativa privada", disse.

Questionando sobre a falta de repasse para o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que levou a problemas, por exemplo, nos parques da Chapada dos Guimarães e da Serra da Capivara, Sarney admitiu a situação, mas disse que está sendo resolvida.

"É um problema que estamos enfrentando e já superando. Primeiro as verbas orçamentárias foram recompostas, tanto do ICMBio quanto do Ibama. Estávamos sem dinheiro para combate a desmatamento, sem dinheiro para combate a queimadas, e isso tudo foi superado", disse.

Com informações da Agência Estado

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade