Ofensas contra Temer são retiradas da página do GDF

Quem procurasse por Governo de Brasília no Google, se deparava com ofensas direcionadas ao presidente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/06/2017 09:16

Reprodução
 
A descrição do Portal de Brasília no Google foi normalizada na manhã desta terça-feira (13/6). Hackers haviam invadido a página e postado mensagens ofensivas direcionadas ao presidente da República, Michel Temer, no domingo (11/6). 
 
 
O problema já havia sido corrigido desde segunda-feira (12/6), no entanto, a Secretaria de Comunicação informou que a normalização só entra no ar depois que for indexada pelo Google, o que demora um tempo. A pasta também afirmou que não houve um novo ataque.  
 
Até a noite desta segunda-feira (12/6), quem procurasse por Governo de Brasília no buscador, se deparava com a seguinte descrição: "Estado de Brasília. Não pretendo começar isso com um discurso clichê de fora temer, mas primeiramente pau no seu cu Michel Temer e para toda sua bancada [sic]".  
 

Confira, na íntegra, a nota divulgada no domingo (11/6): 

 
"O governo de Brasília informa que as equipes de Tecnologia da Informação da Secretaria da Casa Civil, Relações Institucionais e Sociais e da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão atuaram com agilidade assim que parte dos sites do governo foram hackeados. O problema foi identificado e novas configurações de segurança estão sendo implementadas para  evitar novos ataques.  
 
Vale esclarecer que o episódio de hoje é chamado de pichação de sites e que não houve acesso a nenhum dado público. As páginas das Administrações Regionais, da Orla Livre e o portal Brasília estão fora do ar e serão normalizados o mais brevemente possível. 
 
O ataque de hoje em nada se relaciona ao novo Datacenter do governo, cuja ampliação aumentou a capacidade física de armazenamento de dados, além de ampliar a segurança ao acesso físico de servidores. A invasão de hoje está relacionada a parte lógica (uso de softwares) e não de hardwares, como é o caso do Datacenter." 
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Marcus
Marcus - 13 de Junho às 11:16
No país da mentira,chamar ladrão de criminoso é ofensa.Vivemos numa ditadura mentirosa.Os (políticos),quase todos corruptos não podem ser atacados.A imprensa atrapalha a justiça e as mudanças que precisamos.