Brasilienses apresentam aplicativos na Campus Party

O evento de tecnologia e inovação virou palco para empreendedores brasileiros mostrarem novidades ao mercado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/06/2017 14:19 / atualizado em 16/06/2017 14:54

Alessandra Modzeleski/CB/D.A Press
 
 
Brasilienses provaram que Brasília pode ser também a capital da tecnologia, na primeira edição da Campus Party na capital. Na área de startups, um trio apresentou um aplicativo que promete conectar os motoristas do DF a partir da placa do carro, garantir descontos em concessionárias e até no IPVA.

"O Hicar permite que motoristas cadastrados possam se conectar com donos de outros veículos. Ele poderá avisar se alguém esqueceu a janela aberta ou deixou o farol ligado, por exemplo", explica o estudante de gestão de TI e desenvolvedor do App, Matheus Leite, 22 anos. 
 

O aplicativo, já disponível para download, ajudaria em outro problema comum ao brasiliense, conta o publicitário Dudu Marcel, 31 anos. "Em Brasília, é comum estacionados na comercial e alguém fechar o carro e desaparecer. Com o Hicar, é possível, apenas com a placa do veiculo, entrar em contato com o motorista que te trancou."

Outro criador do App, o publicitário André Garcia, 30 anos, conta que haverá vantagem para quem participar da corrente. "Conforme o motorista for ajudando outras pessoas, ele ganhará curtidas de outros colegas. A pontuação servirá para troca de benefícios." Segundo o trio, haverá descontos em oficinas e concessionárias, e até mesmo no IPVA. O grupo tenta parceria com o Detran para validar essa última ideia.

Ajuda para empresas 

Outra dupla candanga também aproveitou o espaço da feira de tecnologia para apresentar um aplicativo, o Smartcheck, que permite que funcionários de empresas batam o ponto no próprio celular. "É para empresas que precisam controlar os funcionários, precisam de um relatório simplificado de banco de horas e tempo trabalhado e não tem dinheiro para bancar um relógio de ponto", explica o desenvolvedor João Gabriel, 23 anos, que criou o aplicativo ao lado do colega universitário Euler Carvalho, 24 anos.
 
Alessandra Modzeleski/CB/D.A Press
 
 
O aplicativo permite que o funcionário de uma empresa bata o ponto pelo celular que, automaticamente, vai verificar a localização do trabalhador. Ele também poderá ver quantas horas trabalhou, o banco de horas e dias que chegou atrasado, por exemplo.

João garante, ainda, que o projeto vai ajudar pessoas que trabalham também fora da sede da empresa e têm muitas reuniões na rua. "Nós já fechamos parceria com uma empresa no Gama, que tem usado o aplicativo e mandado feedbacks. Com isso, já fizemos muitas melhorias. Agora, queremos outras empresas para utilizar nosso aplicativo".  
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.