Secretaria de Saúde tem 15 dias para rever situação da UPA de Ceilândia

A pasta entrou em acordo com o Conselho Regional de Medicina para estabelecer medidas de reposição de medicamentos e readequação nas escalas dos profissionais de saúde da unidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/07/2017 20:00 / atualizado em 11/07/2017 20:06

Após a emissão de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) referente à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Ceilândia, a Secretaria de Saúde do DF (SES-DF)  terá 15 dias para resolver o problema do reabastecimento de remédios e insumos, e para reavaliar a quantidade de profissionais necessários à unidade.
 

O Conselho Regional de Medicina (CRM-DF) emitiu o TAC na semana passada como forma de evitar o encaminhamento de pacientes em estado grave à UPA de Ceilândia e colocou a unidade sob risco de interdição. A medida foi tomada depois do recebimento de denúncias sobre falta de médicos e de medicamentos, superlotação, além de dificuldades no processo de internação e encaminhamento de pacientes aos hospitais. 

"O cumprimento do TAC permitirá o restabelecimento de uma assistência correta à população. Hoje, as deficiências na estrutura e as dificuldades na gestão de pessoal têm afetado negativamente a saúde dos pacientes e dos profissionais", informou o conselho, em nota divulgada na tarde desta terça-feira (11).

Na quinta-feira passada (6/7), a SES-DF informou, por meio de nota, que as escalas de atendimento não eram fechadas devido ao "alto grau de absenteísmo, o excesso de ausências, por motivo de saúde ou outras razões". Por fim, a pasta se comprometeu a encontrar uma solução em conjunto com o CRM-DF.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.