Moradores flagram escavadeiras atuando em obra embargada da 207 Sul

De acordo com os moradores, uma escavadeira da Caesb esteve no local nesta terça-feira para realizar trabalhos na rede de água e esgoto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/07/2017 21:18 / atualizado em 12/07/2017 01:01

Reprodução/Facebook

 
Um dia depois de o governador Rodrigo Rollemberg ter divulgado um vídeo em suas redes sociais, afirmando que teria pedido ao proprietário de um terreno na 207 Sul para que ele não construísse no local e deixasse o espaço continuar sendo utilizado como área comum, os moradores da quadra denunciaram que, na manhã desta terça-feira (11/7), as obras teriam sido retomadas. Desde 12 de junho, os trabalhos no local estão suspensos, por determinação do próprio Rollemberg.
 

De acordo com os moradores, funcionários da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) foram até o local nesta terça-feira para, com o auxílio de uma escavadeira, realizar trabalhos na rede de água e esgoto. Os trabalhadores, relatam os moradores, estavam com uma ordem de serviço da construtora que é proprietária do terreno, expedida em 4 de julho, ou seja, em data posterior ao embargo da obra. Os trabalhos só foram interrompidos após intervenção da população.
 
"Está todo mundo indignado. Ontem [segunda-feira], estávamos comemorando que o governador estava sensível à nossa causa e hoje acontece isso. Uma frustração total. Depois de tudo o que caminhamos, ver esse retrocesso", criticou Roberta Lia, integrante do movimento "O verde é nosso SQS 207".
 
 
 
Os moradores da quadra também afirmam ter feito uma denúncia à Ouvidoria do Distrito Federal e foram informados de que o caso seria repassado à Agência de Fiscalização do DF (Agefis). Procurada pela reportagem, a autarquia confirmou ter recebido a denúncia, mas disse que, após visitarem o terreno, os agentes não encontraram obras sendo feitas, nem por parte da Caesb, nem por parte do proprietário da área.

Já a Caesb informou, em nota, que "realizou no local a ligação de água solicitada anteriormente", mas que "esse serviço pode ser retirado a qualquer momento, sem prejuízo ambiental ou transtorno para os moradores. "A Companhia vai aguardar o desfecho das negociações entre comunidade, governo de Brasília e o proprietário do terreno", diz o documento.

A Companhia ainda reforça a afirmação da Agefis de que não há registro de obras no local. "É importante ressaltar que fiscais da Agefis fizeram vistoria no local, inclusive dentro do tapume, e não constataram qualquer obra sendo executada. Dentro do lote, não existe nem movimento de terra, apenas uma escada e alguns poucos materiais de construção", conclui a nota.


Polêmica

O governador divulgou um vídeo em suas redes sociais na última segunda-feira (10/7), onde explica que conversou com o proprietário do terreno para que ele, "de forma amigável", fizesse um acordo para evitar que um empreendimento fosse construído no local. De acordo com o Governo de Brasília, as duas partes estão negociando uma forma de compensação para o dono do espaço, como a cessão de um terreno em outra área.
 

Também no vídeo, Rollemberg chama a atenção para as belezas naturais do local, como um ipê que acaba de florescer no inverno brasiliense. "Há uma reivindicação dos moradores da Asa Sul para que essa área continue de uso comum da população e acho que eles têm razão. Vejam esse ipê cor de rosa e todas essas outras árvores. Isso aqui tudo já se incorporou à paisagem urbana do Plano Piloto", destacou.

A obra na quadra está suspensa desde 12 de junho, por decisão do próprio governador. Baseado em um despacho da Consultoria Jurídica do DF e após se reunir com moradores, Rollemberg entendeu que a suspensão era necessária para preservar as características do local. "A obra ameaçava árvores de mais de 40 anos e impedia a passagem de pedestres, cadeirantes e ciclistas", afirmou, à época.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.