Musicalização ajuda crianças no desenvolvimento psicomotor e cognitivo

A prática musical ajuda na formação das crianças desde os primeiros anos de vida

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/07/2017 06:00 / atualizado em 12/07/2017 16:25

A prática musical potencializada desde os primeiros anos de vida contribui para o desenvolvimento da criança. Profissionais se dedicam ao ensino e à produção musical infantil cada vez mais elaborados. “A exposição precoce à música, além de facilitar a emergência de talentos ocultos, contribui para a construção de um cérebro biologicamente mais conectado, fluido, emocionalmente competente e criativo”, relata o neurologista Mauro Muszkat, no livro Música na escola.
 
 
Professor, Marcos dos Santos ministra aulas a crianças de 6 meses a 8 anos na escola Pia Máter (914 Norte). A metodologia de ensino a respeito da musicalização infantil é construída com características específicas, de modo a levar o pequeno estudante a se desafiar. “A autonomia de a criança poder se enxergar dentro de um espaço e criar um conhecimento para si mesma faz parte da ideia proposta pelo ensino da música”, afirma.

Mireli Ribeiro aponta o crescimento da percepção de Letícia Matias, 3 anos, e destaca que é possível notar em casa o desenvolvimento que a música proporciona para a filha. “O aprendizado cresce bastante. A música na educação infantil é fundamental, ajuda em todos os aspectos, como na fala, na coordenação motora e no desenvolvimento como um todo.”
 
Ed Alves/CB/D.A Press
 
 
A mãe Ana Cláudia Pereira conta que a música ajuda na formação cognitivada filha Maria Eduarda, de 4 anos. “Por meio da música, ela brinca, inventa e articula melhor as palavras.” Maria Eduarda não esconde o gosto pelas aulas. “Meu instrumento favorito é o triângulo. Gosto muito de música e dos meus amigos.”

Quando estava grávida, Ana Cláudia colocava música para Maria Eduarda escutar e, ao nascer, as cantigas e sons instrumentais começaram a fazer parte do dia a dia. A iniciação musical foi introduzida a partir do momento em que começou a frequentar o ambiente escolar.

Concentração

O professor da Universidade de São Paulo (USP) Celso Favaretto comenta, no livro Música na escola, que “a escuta exige atenção e concentração, é uma força estranha que, através de vibrações audíveis e inaudíveis, de vozes e silêncios, convoca o corpo, conecta o inconsciente”.

O ensino da música para a criança ajuda a desenvolver outras áreas de conhecimento, assegura a diretora da Pia Máter, Leila Maia. “Existem algumas comprovações científicas de que a musicalização infantil abre janelas de oportunidade, inclusive para a ciência e para a matemática. Se podemos aprimorar o conhecimento da criança desde cedo, vamos fazer isso.”

O sensível e o cognitivo se juntam quando o ensino da música é aplicado. Essa união colabora para o desenvolvimento das variadas esferas que permeiam o crescimento. “Tanto a coordenação motora quanto as emoções são estimuladas de forma conjunta quando a criança tem contato com a música”, explica o professor Marcos dos Santos.

A música começou para Vinicius Rodrigues aos 4 anos. Passados cinco anos desde a primeira aula, a mãe, Adriana Xavier, afirma que, dentre todos os benefícios apresentados, o mais notável é mesmo o aumento da concentração.

Trabalho em grupo

A socialização infantil também é fator determinante. Ao experimentarem juntos os diferentes tipos de instrumentos, as crianças se ajudam mutuamente. Os alunos interagem entre si e percebem que precisam um do outro para juntos alcançarem o mesmo objetivo. “Os mais velhos ajudam os mais novos. É uma boa forma de juntar as diferentes faixas etárias”, conclui Marcos.

A falta de material infantil a respeito da cultura raiz inspirou o cantor e compositor brasiliense Marcello Linhos a produzir conteúdo musical para os pequenos. “As crianças precisam de um conteúdo que as faça pensar, que não seja fácil de se ouvir”.

Violinha caipira foi lançado em novembro de 2016 e tem como temas o cerrado, a viola caipira e a cultura raiz do sertão.  “O objetivo do disco é apresentar para as crianças uma cultura que está à volta delas e que muitas vezes não é abordada”, esclarece Marcello.

Sugestões de livros 

Música na escola

Gisele Jordão, Renata R. Allucci, Sergia Molina e Adriana Miritello Terahata.
Editora Allucci & Associados comunicações. Gratuito e disponível em www.amusicanaescola.com.br/
 
Aprender e ensinar música no cotidiano
Jusamara Souza. Editora Sulina. Preço médio R$ 39.

De tramas e fios: um ensaio sobre música e educação
Marisa Trench de Oliveira Fonterrada. Editora Unesp. 
Preço médio R$ 56.

Ouvido Pensante 
Murray Schafer. Editora Unesp. Preço médio R$ 60.
 
* Estagiário sob supervisão de José Carlos Vieira 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.