199 lojas fecham no primeiro trimestre do ano, 80% a menos do que em 2016

Segundo dados da Fecomércio-DF, no primeiro trimestre do ano passado, 936 lojas fecharam. Na avaliação da federação, o comércio de Brasília está mais otimista

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/07/2017 19:45 / atualizado em 12/07/2017 19:49

Andre Violatti/Esp. CB/D.A Press - 2016

 

Dados divulgados pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF) nesta quarta-feira (12/7), mostram que, no primeiro trimestre de 2017, Brasília perdeu 199 estabelecimentos comerciais. O número é elevado, mas, ainda assim, 80% menor do que o registrado no mesmo período de 2016, quando o saldo negativo foi de 936 estabelecimentos.

 

Leia mais notícias em Cidades

 

Os dados nacionais também mostram essa mudança. Nos primeiros meses de 2016, o Brasil perdeu mais de 37 mil empreendimentos. Neste ano, foram pouco menos de 10 mil. Segundo Adelmir Santana, presidente da Fecomércio-DF, as vendas, aos poucos, começam a dar sinais positivos. O comércio brasiliense registrou crescimento de 3,85% nas vendas em maio.

 

“Começamos a perceber sinais de que o pior já ficou no passado. Apesar dos saldos entre empresas abertas e fechadas serem negativos, nada se compara aos recordes desfavoráveis registrados em 2016”, pondera Adelmir. Ele explica ainda que, em junho, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio do DF cresceu, fixando-se em 107,3 pontos. Foi o quarto mês seguido acima da zona de indiferença, que é de 100 pontos.

 

Para Adelmir, os dados indicam que o comércio de Brasília está mais otimista e acreditando em um ano com mais vendas do que nos últimos períodos. Em comparação com as demais unidades da Federação, o Distrito Federal foi a 13ª que mais perdeu lojas no comércio varejista com vínculos empregatícios nos primeiros três meses deste ano.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.