Júri de mãe acusada de matar o filho de fome é adiado

O novo julgamento foi marcada para 28 de agostos, às 9h

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/08/2017 17:34 / atualizado em 02/08/2017 17:51

O julgamento de Lucinete Sousa Machado, marcado para a manhã desta quarta-feira (2/8), foi adiado a pedido da defesa da ré, porque uma das testemunhas do caso havia faltado. A mulher é acusada pela morte do filho Bruno Gabriel Sousa Machado, de 6 meses. Ela vai responder por homicídio qualificado com emprego de meio cruel, pois, segundo a investigação, ele teria morrido por privação de comida. A nova sessão será na última segunda-feira do mês (28), às 9h, no Tribunal do Júri de Brasília. 
  
 
A suspeita é de que a criança morreu por caquexia (extrema fraqueza), de forma lenta e agonizante, em estado famélico, isto é, quando há total privação de comida. O bebê chegou a ser socorrido no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib), na Asa Sul, mas faleceu em 8 de dezembro de 2013.

Os jurados decidirão se a ré agiu com culpa consciente - quando acredita que evitará o resultado, mas por erro de cálculo ou execução não o impede - ou por dolo eventual - quando a pessoa não só prevê as consequências, como também não se importa se elas ocorrerão ou não, aceitando o risco com indiferença, mesmo que não tenha intenção de causar o mal que possa suceder.

Com informações do TJDFT
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.