Mulher é assassinada pelo marido com facada no pescoço em Ceilândia

A vítima, de 23 anos, foi atacada pelo marido, de 27, em casa, na QNO 18 de Ceilândia. na manhã desta quinta-feira (3/8). De acordo com a Polícia Militar, os vizinhos contaram que ela gritava o nome dele antes de morrer

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/08/2017 15:06 / atualizado em 03/08/2017 22:06

Jéssica Eufrásio/CB/D.A. Press

Uma mulher foi morta pelo companheiro com uma facada no pescoço. A vítima, Glória Maria Feitosa dos Santos, 23 anos, foi atacada por Francisco Pereira dos Santos, 27, em casa na QNO 18 de Ceilândia na manhã desta quinta-feira (3/8). O crime aconteceu por volta das 8h. O casal estava junto há nove anos e tinha um filho de 7 anos.

Os dois são de Caxias (MA), município distante 362 quilômetros de São Luís, mas chegaram a Brasília há quatro anos. Francisco era foragido da Justiça depois de matar um homem. Segundo o delegado-chefe da 24ª Delegacia de Polícia (Setor O — Ceilândia), Ricardo Viana, Glória achava que era também era procurada pela polícia, mesmo não tendo tido participação no crime cometido no Maranhão. Por essa razão, usava o nome de Fernanda.

O delegado explicou que, na noite desta quarta-feira (2/8), Glória tinha saído de casa e falou para o companheiro que iria para a residência de uma amiga. No entanto, na manhã desta quinta-feira (3/8), ao deixar o filho de 7 anos na escola, descobriu que a companheira estava com outro homem. “Quando Francisco chegou em casa ele a matou com 20 facadas. Mesmo ele tendo dito que tinha desferido oito golpes, a perícia já constatou 20 marcadas no corpo da vítima”, contou. 

De acordo com a Polícia Militar, os vizinhos contaram que a vítima gritava o nome dele antes de morrer. Após cometer o assassinato, o homem se apresentou na 24ª DP. Policiais estiveram no endereço e encontraram o corpo da vítima próximo à porta de acesso ao banheiro. 

O homem foi autuado em flagrante por feminicídio e pode pegar de 12 a 30 anos de cadeia. “Matei por ciúmes. Já desconfiava que ela tinha outro relacionamento, mas me entreguei (à polícia), porque tenho que pagar pelo crime que cometi”, disse Francisco ao Correio.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.