Homem vai a batalhão transtornado e afirma colecionar material de pedofilia

O homem, de 27 anos, procurou o Batalhão da PM do bairro, visivelmente transtornado e, depois de ser acalmado, admitiu colecionar material com imagens de pedofilia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/08/2017 13:57 / atualizado em 04/08/2017 18:29

Fernando Lopes/C.B/D.A Press

Um morador do Sudoeste foi levado à delegacia, na manhã desta sexta-feira (4/8), depois de confessar à Polícia Militar ser colecionador de materiais com cenas de pedofilia. Na casa do homem, de 27 anos, PMs encontraram três HDs externos e levaram à unidade policial. O advogado do suspeito, no entanto, afirma que ele sofre de um quadro profundo de depressão e que ainda não foi formalmente ouvido pelo delegado para comprovar o delito.
 
 
O próprio suspeito procurou o Batalhão da Polícia Militar do bairro onde mora. Ao chegar lá, se mostrava visivelmente transtornado e dizia querer acabar com a própria vida. Um capitão conseguiu acalmá-lo e, durante a conversa, perguntou por que ele queria se matar. 

Foi então que o homem confessou guardar material de pedofilia desde os 14 anos e que queria, ao menos, ser preso. Ele também disse que tinha se entregado porque achava que estava sendo investigado. Após a confissão, uma equipe da Polícia Militar o acompanhou até a casa dele, uma quitinete na QRSW 6 do Sudoeste, onde encontrou os HDs. A Divisão de Comunicação (Divicom) da Polícia Civil ainda apura se realmente há material ilegal salvo nos equipamentos. 
 
Responsável pela diligência, o capitão Da Silva, da Polícia Militar, contou ao Correio que o suspeito, apesar de confessar ter feito os downloads de cenas de pedofilia, afirmou nunca ter tido contato com crianças nem dividido os materiais.
 
"Ele precisa de tratamento psiquiátrico com urgência. Nenhum policial, nem eu tivemos acesso aos dados do computador. Ele não chegou a ser ouvido formalmente pela autpridade policial e o delegado vai marcar uma conversa com ele", afirma o advogado de defesa do acusado, Thiago de Lima. Ele também informou que a família do suspeito o encaminhou a uma clínica para atendimento psicológico.
 
Em nota, a Polícia Civil informou que "a ocorrência segue com natureza 'Em Apuração', uma vez que não foi possível constatar, naquele momento (do encaminhamento do suspeito à DP), a veracidade do suposto conteúdo impróprio". "De qualquer forma, os equipamentos foram apreendidos e encaminhados para perícia técnica", finalizou.
 

Altares e sujeira 


O capitão também disse que se assustou com o que viu dentro do apartamento. "Fiquei aterrorizado quando entrei na casa dele. É um cativeiro sem refém. É a casa mais estranha em que já entrei na vida. Tem altares satânicos por todos os cantos e também em volta da cama. A roupa de cama estava suja, havia sujeira por toda parte", disse.
 
O homem foi levado para a 3ª DP (Cruzeiro Velho) para prestar depoimento. Por ter se entregado voluntariamente, ele já foi liberado.

 


Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Alessandra
Alessandra - 04 de Agosto às 16:56
Deviam ter encarcerado logo esse mizerável, pq assim ele fica livre pra fazer uma vitima, isso foi so um aviso. Esperoq ue ele nao faça de vitima ninguem da familia do delegado que o soltou.