Vigilantes entram em greve após falta de pagamento

Os trabalhadores que prestam serviço ao GDF nas áreas de educação e saúde afirmam que o governo não repassou a verba e por isso estão sem receber.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/08/2017 08:09 / atualizado em 08/08/2017 13:29

Divulgação.
Vigilantes do Hospital Regional da Asa Norte, do Hospital Regional de Sobradinho, da coordenação Regional de Ensino de Ceilândia e Hospital Regional do Gama, dentre outros vigilantes que trabalham em hospitais e escolas, cruzaram os braços na manhã desta terça-feira (08/08) após falta de pagamento.
 
De acordo com o Sindicato dos Vigilantes do Distrito Federal (Sindesv), cerca de 3,5 mil vigilantes que atuam nos hospitais, centros de saúde e escolas públicas do Distrito Federal estão sem receber. 
 
Nesta manhã , os vigilantes que trabalham nos hospitais se reuniram em frente às unidades de saúde. Os que prestam serviço nas escolas se manifestaram na porta das regionais de ensino das regiões administrativas.
 
Segundo Gilmar Rodrigues, diretor de imprensa do Sindesv, os trabalhadores continuarão em greve até que os salários da categoria sejam regularizados. Ele afirma que desde setembro do ano passado, os salários não estão sendo pagos em dia. "O salário atrasou em praticamente 80% dos meses. Estão todos com as contas atrasadas e sem condições de ir trabalhar. Queremos o salário na conta. Só voltaremos após o pagamento", afirma.
 
 
Eles aguardam o pagamento de julho, que deveria ter sido depositado até o quinto dia útil do mês (07/08). Em nota, a Secretaria de Saúde informou que aguarda recursos para a realização do pagamento aos prestadores de serviço. A previsão é de que até a próxima semana a situação seja regularizada.
 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.